Construção gera 1,5 mil empregos na Paraíba

Texto: Redação AECweb

Setor abriu 10% a mais postos de trabalho do que o registrado no mesmo período de 2010

01 de abril de 2011 - O setor da construção civil gerou nos primeiros três meses do ano 1,5 mil postos de trabalho na Paraíba, o que significa um crescimento de aproximadamente 10% em relação ao mesmo período de 2010. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil da Paraíba (Sintricon), o aumento da oferta de trabalho é reflexo do crescimento do setor no Estado e há uma forte demanda por mão de obra qualificada.

"Hoje 100% da mão de obra qualificada no Estado está trabalhando e ainda carecemos de mais. Se tivéssemos 500 pedreiros qualificados, 200 carpinteiros e 200 armadores todos estariam empregados", afirmou Paulo Marcelo, diretor financeiro da Sintricon. Ele projeta que empreendimentos como a duplicação da BR-101 tendem a valorizar ainda mais a Paraíba.

E é a construção de edifícios (verticalização) que está puxando o setor no Estado. Irenaldo Quintans, presidente do Sindicato da Indústria de Construção Civil de João Pessoa (Sinduscon), explica que são os apartamentos do tipo de imóveis mais procurado na Capital porque as pessoas se sentem inseguras morando em casas. Na Capital, hoje existem 5,5 mil apartamentos em oferta, entre novos e em construção. A expectativa é que a venda desses imóveis gere R$ 1,2 bilhão para a construção civil em 2011.

Entre as localidades com maior potencial de desenvolvimento está o Litoral Sul da Paraíba, faltando, contudo, investimentos em infraestrutura. Em João Pessoa, de acordo com a Sinduscon, se verifica um maior investimento na Zona Sul da cidade, como nos bairros dos Bancários e Mangabeira.

Contudo, a área mais valorizada da cidade ainda é a orla, que tem o metro quadrado mais caro. A Sinduscon estima que o metro quadro mais barato da cidade custe R$ 800 e o mais caro R$ 5.000. Em 2010, foram vendidos 5.780 apartamentos em João Pessoa, gerando R$ 1 bilhão e 518 milhões. Em média, cobrou-se R$ 2.600 pelo metro quadrado na Capital.

Salário do trabalhador

Mesmo com números tão positivos na Paraíba, os trabalhadores da construção civil do Estado sofrem com baixos salários, tendo a menor média salarial do Nordeste. Valores repassados pelo sindicato da categoria apontam que o salário médio de profissional da área (pedreiro, carpinteiro, armador) é de R$ 700. A maior remuneração é a de um mestre de obras que recebe R$ 1,5 mil. A Sintricon já iniciou uma campanha salarial que pede que o menor salário para a categoria seja de R$ 800.

Fonte: O Norte - PB