Construção puxa aceleração da inflação do aluguel em maio

Texto: Redação AECweb

Preços no atacado também sobem mais e pesam na mensalidade do inquilino, segundo FGV

31 de maio de 2012 - Os custos da construção civil subiram em ritmo maior, e a inflação do aluguel acompanhou a aceleração em maio. O IGP-M (Índice Geral de Preços de Mercado) acelerou de 0,85% em abril para 1,02% em maio, informou nesta quarta-feira (30) a FGV (Fundação Getulio Vargas).

Além dos contratos de aluguel, o IGP-M também é usado para reajustar as contas de energia elétrica e TV por assinatura, por exemplo. Com o resultado, o IGP-M acumula 4,26% nos últimos 12 meses, índice que realmente vai importar no aniversário dos contratos.

Um aluguel mensal de R$ 1.000 com aniversário em maio deste ano, por exemplo, vai subir para 1.042,60.

Vilã da alta geral dos preços em maio, a construção civil ficou mais cara no País por causa da mão de obra, que ficou 2,22% mais pesada no bolso do consumidor — após alta de 1,08% em abril.

Os materiais, serviços e equipamentos, por outro lado, aliviaram a conta ao subir em ritmo menor — 0,35% em maio, após marcar 0,58% em abril.

Os preços no atacado também subiram em ritmo maior em maio, ao passar de 0,97% em abril para 1,17%  no mês passado. Os alimentos in natura ficaram 0,18% mais baratos, após subirem quase 3% em abril, e impediram uma alta maior.

Também vale lembrar que matérias-primas tiveram alta de 1,32% em maio, após avanço de 0,97% em abril. Os itens que puxaram a aceleração foram café em grão, minério de ferro e mandioca.

Para o consumidor, os preços aumentaram em ritmo menor — alta de 0,49% em maio, após alta de 0,55% em abril. Os produtos e serviços ligados aos transportes e ao vestuário foram os responsáveis pela alta menor.

Além do carro zero, que foi beneficiado pela redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), também estão mais leves no bolso do brasileiro tarifa de telefone residencial, hotel, empregados domésticos e frutas.

Fonte: R7