Construção tem baixo desempenho pelo sexto mês seguido

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

De acordo com a CNI, atividade cai em abril, puxada pela atividade das grandes empresas  

23 de maio de 2013 - A atividade da indústria da construção caiu em abril pelo sexto mês consecutivo, informou nesta quinta-feira (23) a Confederação Nacional da Indústria. Segundo levantamento realizado com 470 empresas do setor entre 2 e 14 de maio, o indicador de atividade somou 45,5 pontos no mês passado, contra 48,9 pontos em março deste ano.

A entidade lembrou que os indicadores variam de zero a cem, sendo que valores abaixo de 50 pontos mostram "queda da atividade" ou "atividade abaixo do usual". "O baixo desempenho do setor foi puxado, sobretudo, pela queda na atividade das grandes empresas. Entre essas, o indicador foi ainda menor – 44,9 pontos", acrescentou a CNI.

O nível de atividade em relação ao usual para o mês de abril também ficou abaixo da linha dos 50 pontos, de acordo com a entidade. "O índice de 43,7 pontos foi o menor da série histórica iniciada em dezembro de 2009. Essa queda na atividade do setor foi acompanhada de recuo na utilização da capacidade de operação (UCO), que caiu de 70%, em março, para 66% em abril. Esse é o pior patamar do indicador desde janeiro de 2012 e a piora também foi mais intensa entre as grandes empresas", informou.

De acordo com a CNI, o "baixo desempenho" do setor continua tendo reflexos na redução dos empregos. "Enquanto em março a quantidade de empregados na construção teve índice de 48 pontos, em abril atingiu 45,6 pontos, mais disseminado entre as empresas e se afastando da linha dos 50 pontos", acrescentou.

Confiança dos empresários

O cenário negativo também afetou a confiança dos empresários do setor para os próximos seis meses, revela o levantamento.

"Embora os empresários estejam otimistas, todos os indicadores de expectativas caíram e estão cerca de 4 pontos abaixo da média histórica. Em relação ao nível de atividade, as expectativas recuaram de 58,7 pontos em abril para 56 pontos em maio. A confiança dos empresários sobre novos empreendimentos e serviços caiu de 59,2 pontos para 56,2 pontos no período", informou.

Já as perspectivas para os próximos seis meses, em relação à compra de insumos e matérias-primas, tiveram queda dos 57,5 pontos, em abril, para 55,2 pontos neste mês. Já as expectativas sobre o número de empregados baixou de 57,4 pontos para 54,7 pontos, informou a CNI.

Fonte: G1