Construção tem custos estáveis

Texto: Redação AECweb

Primeiros levantamentos indicam a existência de um número maior de trabalhadores com registro em carteira no setor

12 de março de 2012 - A evolução dos indicadores de custos da construção nestes primeiros dois meses do ano vem mantendo uma relativa estabilidade, apontou o consultor da FGV Robson Gonçalves, na reunião de avaliação da conjuntura econômica, realizada na última semana, no SindusCon-SP.

Segundo ele, este fato, aliado ao grande volume de obras em andamento ou por se iniciar, reforçou o sentimento de otimismo cauteloso do empresariado do setor para o desempenho atual e futuro das suas empresas, conforme captou a 51ª Sondagem Nacional da Indústria da Construção.

O economista destacou o dado divulgado naquele dia pelo IBGE, de que, enquanto o PIB oscilou 0,3% no último trimestre de 2011, a construção havia crescido mais de 3%. “O setor continua crescendo e gerando empregos”, destacou.

Gonçalves também anunciou que, a partir dos últimos dados da Rais, a FGV está atualizando os números da evolução do emprego na construção, a serem divulgados na próxima semana. Os primeiros levantamentos indicam a existência de um número maior de trabalhadores com registro em carteira no setor do que aquele que vinha sendo divulgado.

A reunião foi coordenada pelo vice-presidente de Economia, Eduardo Zaidan, e contou com a participação dos vice-presidentes de Habitação Popular, João Claudio Robusti; de Imobiliário, Mauricio Bianchi; de Relações Capital-Trabalho, Haruo Ishikawa; e de Tecnologia e Qualidade, Paulo Sanchez.

Fonte: Sinduscon - SP