Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Construção tem dificuldade para retomar nível de atividade, diz CNI

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Sondagem realizada em novembro revela resultados negativos sobre os empregos no setor e o nível de atividade. Apesar dos resultados, confiança do empresário está em alta


Pesquisa foi realizada nos primeiros 15 dias de novembro com 601 empresas (crédito: CC7/Shutterstock)

08/12/2017 | 16:40A última Sondagem Indústria da Construção divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) revela que o setor ainda segue com dificuldades. A análise foi baseada nos índices do mês de outubro.

O nível de atividade cresceu 0,5 ponto no mês e atingiu a pontuação de 46,9 – nível ainda inferior à linha divisória dos 50 pontos. O indicador que mede a evolução do ritmo de empregos no setor, por sua vez, registrou queda de 45,2 para 43,1 pontos.

Apesar desses resultados, a Capacidade de Operação (UCO), que mede o nível de ociosidade, cresceu pelo quarto mês consecutivo e em outubro fechou com 59 pontos. Entretanto o comportamento não é homogêneo, já que empresas pequenas registraram queda de 55% em setembro para 54% em outubro, bem como as grandes, de 60% em setembro para 59% em outubro. As médias apresentaram alta de três pontos, alcançando 61%.

O otimismo do empresariado continua dando sinais de recuperação. A intenção de investimento ficou em 30,7 pontos em novembro, aumento de 0,3 ponto em relação ao mês anterior. O índice de confiança do empresário da indústria da construção (ICEI) também cresceu, cerca de 0,6 pontos em novembro, atingindo 54,4 pontos – maior valor registrado desde fevereiro de 2014, segundo a CNI.

A pesquisa foi realizada entre 1 e 14 de novembro com 601 empresas, sendo 197 pequenas, 273 médias e 131 grandes.

Quer saber mais sobre resultados da construção civil? Leia:

PIB da construção civil deve cair 6,4% em 2017, estima Sinduscon-SP

Empregos na construção civil aumentam pelo terceiro mês consecutivo

Inflação da construção civil desacelera em outubro, diz IBGE

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: