Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Construtora usa maior guindaste do país no Itaquerão e pode atrapalhar aviões

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket


Equipamento tem capacidade nominal de 1.500 toneladas e lança de 114 metros

23 de agosto de 2012 - As obras do Itaquerão exigem, agora, até pedido de licenças às autoridades aeroportuárias. Como o guindaste que erguerá as estruturas do teto da arena corintiana tem 114 metros de altura, para montá-lo, a Odebrecht prepara pedido de autorização à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), ao Conar (Congresso Nacional da Aviação Regional) e ao Corpo de Bombeiros, pois o local é rota de helicópteros e aviões de pequeno porte.

A informação é da coluna Painel FC, assinada por Bernardo Itri e Eduardo Ohata, desta quinta-feira.

No entanto, técnicos da empresa explicam não haver razão para preocupação com um eventual atraso nas obras, já que a instalação do teto está prevista para o começo de setembro. Até lá, toda a documentação deverá estar pronta.

De acordo com a Odebrecht, o guindaste é o maior existente no Brasil. Ele tem capacidade nominal de 1.500 toneladas e lança de 114 metros. A empresa estima que serão necessários 15 dias de trabalho para montar o guindaste.

Na semana passada, a construtora anunciou que o estádio já tem 45,17% das obras concluídas.

As obras no Itaquerão começaram em 30 de maio de 2011 com o início da terraplenagem. Desde 16 de janeiro, as obras da arena corintiana estão sendo feitas em três turnos e conta com 1.710 trabalhadores. O primeiro turno tem início às 7h30 e o último só termina às 5h30. Com isso, a arena fica paralisada por menos de duas horas por dia.

O estádio está orçado em R$ 820 milhões, dos quais R$ 400 milhões foram emprestados pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). O valor do financiamento corresponde a 46% do total do empreendimento.

Os recursos serão repassados pelo Banco do Brasil, agente do BNDES, à EPE (Empresa de Propósito Específico) formada pela Odebrecht Participações e Investimentos e a Jequetibá Patrimonial, responsáveis pela construção e manutenção da Arena.

A previsão é de que o estádio fique pronto em dezembro de 2013. A nova arena corintiana será palco do jogo de abertura e de mais cinco partidas da Copa do Mundo-2014.

A capacidade normal do estádio será para 48 mil lugares, mas durante a Copa serão adicionados 20 mil assentos temporários.

Fonte: Folha de São Paulo

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: