Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Contratos de programa habitacional são assinados em Santo André

Texto: Redação AECweb

Primeiros contratos do programa Minha Casa, Minha Vida são assinados e correspondem a 352 unidades habitacionais em na cidade do ABC

24 de setembro de 2010 - No começo desta semana foram assinados os primeiros contratos relativos ao programa "Minha Casa, Minha Vida", que correspondem a 352 unidades habitacionais na cidade de Santo André, na região do ABC Paulista, para famílias com renda de até três salários mínimos. Os investimentos chegam à ordem de R$ 23, 1 milhões e irão gerar cerca de 140 novos postos de trabalho diretos e 400 indiretos Os primeiros empreendimentos serão construídos nas ruas Juquiá (132 unidades) e Londrina (220). Estima-se que o próximo contrato será firmado em breve e vai beneficiar outras 880 famílias.

"Conseguimos um fato inédito na região e vamos dar moradia com dignidade e respeito para quem mais necessita. Os contratos assinados hoje vão refletir diretamente na vida de 392 famílias, que ocuparão as unidades, assim como na dos trabalhadores que irão erguer os edifícios", concluiu o prefeito de Santo André, Aidan Ravin.

Essas unidades serão destinadas a moradores da cidade, com renda de até três salários mínimos e que vivem em situações de risco. "Essa faixa da população tem menos oportunidades de conseguir um financiamento para a casa própria. A prestação do imóvel será de, no mínimo, R$ 50,00 e não poderá comprometer mais de 10% da renda da família por 10 anos", afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Frederico Muraro.

Os municípios devem enviar à CEF a relação dos candidatos selecionados 180 dias antes da conclusão de cada empreendimento. O processo de escolha dos moradores que irão ocupar as unidades habitacionais em Santo André será feito com base nas informações do cadastro único (com cerca de 57 mil inscritos). Os critérios de seleção serão definidos segundo a CEF, que prevê demandas fechadas por núcleos de assentamentos precários e abertos, conforme a Portaria. A cidade já protocolou no portal de empreendimentos da CEF a construção de 9.032 unidades para o público de até três salários mínimos, com investimentos previstos da ordem de R$ 500 milhões. Desse total, 3.404 unidades já possuem projetos que estão sendo analisados pela Caixa.

Fonte: DCI - SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: