Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Crédito e Minha Casa, Minha Vida alavancam segmento residencial

Texto: Redação AECweb

Houve aumento da participação da construção de edifícios na receita bruta do setor, para 39,5%

21 de junho de 2011 - O crédito imobiliário e os programas de moradia popular impulsionaram as obras residenciais em 2009, segundo a Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC), divulgada na última sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). - De acordo com o balanço, houve um aumento da participação da construção de edifícios na receita bruta do setor, para 39,5%, embora as obras de infraestrutura, impulsionadas sobretudo pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), tenham correspondido a quase metade do montante total (47%). O lançamento do programa "Minha Casa, Minha Vida" e o aumento da concessão de crédito foram os principais responsáveis pelo aumento das obras residenciais.

"O crédito imobiliário já vinha crescendo desde o início dos anos 2000. Embora tenha desacelerado um pouco, em 2009 continuou crescendo", explicou Fernando Abritta, responsável pela pesquisa.

As obras residenciais consumiram R$ 28,561 bilhões, ou 17,1% do total de obras e serviços conduzidos por empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas. O avanço foi de 2,4% em relação à participação verificada em 2008. As edificações industriais, comerciais e não residenciais aumentaram menos sua participação, para 18,4%, mas consumiram um montante significativo, de R$ 30,718 bilhões.

Já as obras de infraestrutura consumiram R$ 83,111 bilhões, o correspondente a uma fatia de 49,7% de todas as obras conduzidas.

Crise

De acordo com os números do IBGE, a crise financeira desencadeada em 2008 no mundo não teve grandes reflexos na construção brasileira em 2009. O estudo mostra que as empresas do setor fizeram incorporações, obras e serviços no valor de R$ 199,5 bilhões, expansão de 12,1%, em termos reais, na comparação com 2008. "O setor da construção vem crescendo bastante nos últimos anos e continuou crescendo em 2009, mesmo sendo o ano da crise econômica", disse Abritta.

As contratações de obras feitas por entidades públicas somaram R$ 85,490 bilhões em 2009, contra R$ 68,607 bilhões em 2008. O montante corresponde a 44,1% das construções.

Fonte: DCI - SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: