Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Crédito imobiliário cresce 31,7% no primeiro trimestre

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Desempenho do período levou à revisão da estimativa inicial de R$ 120 bilhões em contratações para R$ 126,5 bilhões neste ano

10 de abril de 2013 - As operações de crédito imobiliário da Caixa Econômica Federal fecharam o primeiro trimestre de 2013 com o recorde de R$ 28,91 bilhões em contratações. "Crescemos 31,7% a mais que o registrado no mesmo período de 2012, quando as contratações atingiram R$ 21,9 bilhões", disse o vice-presidente de Governo e Habitação da Caixa, José Urbano Duarte.

De acordo com o banco, o desempenho do período levou à revisão da estimativa inicial de R$ 120 bilhões em contratações para R$ 126,5 bilhões neste ano. Em 2012, o volume de contratações em habitação na Caixa foi R$ 106,74 bilhões.

Segundo a Caixa, impulsionaram o crédito imobiliário a estabilidade econômica, o aumento da renda da população, a elevação do nível de emprego, a confiança do setor produtivo e a redução do risco bancário. Além disso, houve redução das taxas de juros e ampliação de 20 para 35 anos do prazo dos financiamentos habitacionais.

"A Caixa tem atuado sempre com a melhor taxa, melhor prazo e melhor cota de financiamento, com melhores condições para o cliente. Este ano, estamos investindo forte na melhoria do processo para facilitar ainda mais o acesso e o atendimento ao cliente", afirmou.

Do total contratado no período, R$ 17,04 bilhões foram referentes à aquisição ou à construção de imóveis individuais, enquanto que R$ 11,87 bilhões (41% do total) corresponderam a financiamentos para a produção de imóveis (financiamento às construtoras para execução de empreendimentos). O diretor de Habitação ainda destacou que o crescimento dos contratos para a produção, que em 2007 correspondiam a apenas 14% do total dos financiamentos, foi impulsionado pelo programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

"O Minha Casa, Minha Vida passou a dar um subsídio que pode chegar a mais de 90% do valor do imóvel e trouxe para o mercado um segmento social que também representa mais de 90% do déficit habitacional", afirmou Duarte.

Fonte: Monitor Mercantil

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: