Crédito imobiliário pode crescer 47%

Texto: Redação AECweb

Financiamento com recursos da poupança bateu recorde em 2009 e pode atingir R$ 50 bi este ano, diz a Abecip

22 de janeiro de 2010 - O crédito habitacional com recursos da poupança deve crescer até 47% em 2010 na comparação com o ano passado. A projeção de R$ 45 bilhões a R$ 50 bilhões foi divulgada ontem pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). A entidade prevê financiamento recorde de 400 mil a 450 mil unidades.

Na opinião do presidente da Abecip, Luiz Antonio França, os recursos de poupança devem ser suficientes para financiar o crédito imobiliário nos próximos três ou quatro anos. Atualmente, a poupança e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) são as principais fontes de recursos para o financiamento imobiliário.

No ano passado, o financiamento imobiliário com recursos da poupança bateu recorde, em valor e número de unidades, segundo a Abecip. O valor financiado chegou a R$ 34,017 bilhões, um crescimento de 13,3% em relação aos R$ 30,032 bilhões de 2008. Foram financiadas 302,680 mil unidades, superando as 299,746 mil do ano anterior, que também tinha sido recorde. Somando-se as 383 mil unidades financiadas pelo FGTS, o número chega a 683 mil.

Em 2007, 2008 e 2009, a participação da caderneta de poupança no conjunto dos instrumentos de captação foi mantida em 11% do total. "Em 2009, houve discussão se estaria havendo migração de fluxo de recursos para a poupança. Essa participação inalterada comprova que não havia necessidade de se mexer na poupança", disse França.

O crédito imobiliário com recursos de poupança aumentou 51% em dezembro, para R$ 3,829 bilhões. O número de unidades financiadas foi de 31,688 mil, 24,45% mais do que em dezembro de 2008.

Em dezembro, a Abecip afirmou, em nota, que o desempenho dos financiamentos com recursos da poupança em 2009 deveria ser "ainda melhor que o de 2008". A projeção representava melhora em relação à estimativa divulgada em agosto, de crédito imobiliário de, no mínimo, R$ 30 bilhões.

No ano passado, a captação líquida (depósitos menos retiradas) dos recursos da poupança para o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE) aumentou 11,05%, para R$ 23,805 bilhões. Em dezembro, a captação líquida cresceu 2,92%, para R$ 7,164 bilhões.

Ontem a Abecip também divulgou que o financiamento para a compra de imóveis cresceu 46% no ano passado em relação a 2008, para R$ 20,2 bilhões. O número de unidades financiadas nessa categoria passou de 137,4 mil para 164 mil unidades habitacionais, indicando crescimento de 19,4%.

Já o financiamento à construção recuou 14,6% no mesmo período, para R$ 13,9 bilhões. O número de unidades financiadas caiu 14,5%, para 138,7 mil. Por causa da crise, no início de 2009 as incorporadoras tiveram dificuldades em fazer lançamentos e parte dos contratos com os bancos não foi fechada. "A queda no financiamento à construção foi compensada pelo aumento do crédito à compra de imóveis prontos", disse França.

Fonte: O Estado de S. Paulo - SP