Cresce a venda de imóvel usado na região de Campinas

Texto: Redação AECweb

Imóveis residenciais apresentam uma valorização de 30% a 60% em média por ano

25 de março de 2011 - O aumento de crédito para a aquisição de imóveis na planta, novos e usados ampliou a procura para a compra da casa própria e se tornou o melhor investimento para quem dispõe de recursos para aplicar neste segmento. Levantamento feito pela Provectum Imóveis de Campinas aponta que por ano os imóveis residenciais apresentam uma valorização de 30% a 60% em média. O percentual pode ser ainda maior quando estes imóveis estão localizados em regiões de grande desenvolvimento urbano ou fazem parte de condomínios fechados cercados de infraestrutura.

Estudo elaborado pela Lopes Inteligência de Mercado confirma esta tendência e mostra que mais pessoas estão interessadas em comprar imóveis nos próximos meses. Foi o que apontou o levantamento feito pela empresa, que é braço da maior imobiliária de lançamentos do Brasil responsável por avaliar tendências de mercado e com um dos maiores bancos de dados estatísticos do segmento imobiliário do Brasil.

No mês passado, o Índice de Confiança do Comprador de Imóvel (ICCI) desenvolvido pela Lopes apresentou alta frente ao já positivo resultado de janeiro, subindo 1,9%. Mantendo as expectativas de boa atividade no setor, o Índice de Expectativas, que revela a intenção de compra de imóveis nos próximos seis meses teve crescimento de 4%, de 137,5 pontos em janeiro para 142,9 pontos em fevereiro.

Em Campinas e região levantamento feito pela Provectum Imóveis aponta que a venda de imóveis usados apresentou um crescimento da ordem de 75% nos dois primeiros meses deste ano em comparação com igual período de 2010. A procura maior é para imóveis de dois a quatro dormitórios que variam de R$ 350 mil a R$ 500 mil. No ano passado a comercialização de imóveis usados cresceu 40% em relação a 2009. Embalados pelas vendas em 2010, o Secovi-SP aponta que a estabilidade econômica e os juros relativamente menores no mercado financeiro proporcionaram essa elevação nos negócios.

O presidente da Provectum Imóveis de Campinas, Luiz Bueno, disse que o mercado começou a apresentar uma reação a partir de março do ano passado, quando as pessoas estavam mais confiantes de que o Brasil havia superado a crise econômica global e que o crédito para financiamento imobiliário continuava. "O volume de procura vem crescendo desde meados do ano passado, mas as pessoas estavam difíceis em decidir. Na virada deste ano sentiram que o preço dos imóveis vem subindo e muitas pessoas se decidiram", diz.

Escala

O presidente da Provectum acredita que os imóveis usados voltaram a ser procurados em maior escala pelo fato de que houve um aumento significativo para imóveis novos e na planta, além disso, no caso dos imóveis usados a mudança é imediata, enquanto que nos imóveis na planta, por exemplo, o cliente além de pagar o aluguel ainda paga a parcela do imóvel novo financiado, o que onera bastante. Luiz Bueno disse ainda que neste mês de março o mercado está mais equilibrado. Houve uma redução na procura por compra de imóveis, mas está sendo registrado um aumento no número de pessoas mais decididas em fechar negócio. "Quem ainda procura vem para comprar, pois já viu bastante e já sentiu o mercado. Houve uma redução no número de clientes, mas o corretor está tendo uma finalização mais rápida", completa.

Segundo Luiz Bueno uma parceria firmada entre a imobiliária e o Banco HSBC para o financiamento de imóveis em até 300 meses com taxas de juros bem convidativas alavancou as vendas. "Temos uma linha direta com o crédito imobiliário do banco. O cliente já se sente de certa forma, com uma obrigação de comprar com a imobiliária porque nós aprovamos um crédito para ele."

Fonte: DCI - SP