Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Cresce volume de crédito imobiliário no Brasil

Texto: Redação AECweb

O volume de crédito imobiliário concedido pelos agentes financeiros do SBPE atingiu R$ 10,6 bilhões até maio deste ano, para um total de 99.296 imóveis

30 de julho de 2009 - Considerado como uma alternativa segura de investimento e de reserva de valor, a aquisição de imóveis no Brasil continua crescendo apesar da crise financeira mundial.

O volume de crédito imobiliário concedido pelos agentes financeiros do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) atingiu R$ 10,6 bilhões, até maio deste ano, para um total de 99.296 imóveis, devendo chegar, até o final do ano, muito próximo dos R$ 35 bilhões, envolvendo 350 mil habitações financiadas. Vale ressaltar que, nas aplicações do SBPE, não estão computados os vultosos recursos do FGTS, liberados pela CEF.

Para se ter uma ideia das perspectivas de expansão do mercado imobiliário no Brasil, segundo projeções oficiais para os próximos anos, o PIB da construção deve crescer de 2 a 2,5% acima do PIB do País.

"O destaque é para o desempenho do mercado imobiliário nacional neste primeiro semestre pós-eclosão da crise financeira mundial, quando a construção civil no País poderá apresentar um crescimento de 4% a 5%", avalia o Diretor de Relações com o Mercado da Companhia Província de Crédito Imobiliário, Camilo Fortuna Pires.

As principais razões deste comportamento do mercado nacional, segundo Pires, são a qualidade e seriedade com que as incorporadoras/construtoras veem planejando e executando as suas obras e a rigorosa observância de critérios de concessão e de avaliação de risco pelos agentes financeiros originadores dos créditos.

Há de se considerar, também que o sistema de financiamento imobiliário brasileiro possui uma regulamentação adequada e com atuação controlada, o que agrega ainda mais segurança ao comprador, diferentemente do que ocorreu nos EUA, onde houve um relaxamento excessivo, quase irresponsável, não só das condições de concessão dos créditos, como do acompanhamento e da fiscalização daquele sistema.

"Além de estar capitalizado, depois da crise imobiliária de meados dos anos 1990, o mercado imobiliário brasileiro ficou mais criterioso na concessão e contratação do crédito. Isso garante seriedade ao sistema", avalia.

O Diretor pondera também que a adequação, as condições e a diversidade dos financiamentos imobiliários oferecidos ao mercado, favoreceram o crescimento da demanda e que o maior rigor na análise desse crédito pelos agentes financeiros, fortaleceram a credibilidade e a estabilidade do mercado.

Outra característica da economia brasileira que tem atraído os investidores para aquisição de imóveis é a estabilidade econômica do país. "Os brasileiros aproveitam os benefícios desta estabilidade, resultando no crescimento do mercado imobiliário, que começou em 2006 e tende a ser ainda nos próximos anos".

Fonte: GramadoSite - RS

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: