Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Cronograma apertado para a Copa do Mundo pede automatização do setor

Texto: Redação AECweb

Setor da construção civil enfrenta problemas conhecidos, como falta de mão-de-obra e demora na entrega

18 de junho de 2010 - Plenamente aquecido com as obras de infra-estrutura para a Copa do Mundo 2014 e as Olimpíadas 2016, setor da construção civil enfrenta gargalos conhecidos, como falta de mão-de-obra e demora na entrega. Tecnologia de Paredes Duplas é tida como alternativa para cronogramas rígidos.

Não bastassem as obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e a expansão do setor imobiliário, o cronograma de obras para realização dos jogos da Copa e das Olimpíadas ao mesmo tempo em que faz deslanchar a indústria da construção civil, revela algumas preocupações. Os gargalos, que afligem o setor e pedem sua modernização, são antigos e vão desde a carência por mão-de-obra à falta de automatização de um sistema que continua, majoritariamente, artesanal.

Para o engenheiro e diretor da Sudeste Paredes Duplas, Fabio Casagrande, essa movimentação da indústria da construção civil oportuniza o desenvolvimento e a modernização do setor. "A proximidade dos eventos e as carências em infra-estrutura, que terão que ser supridas até a data dos jogos, prometem fazer da construção civil o motor da economia nos próximos cinco anos. Isso em meio a um sistema público que abriu as portas para o crédito imobiliário, que sozinho responde por mais de 25% de participação nessa indústria. É hora de revermos a tecnologia construtiva brasileira e buscarmos soluções que racionalizam tempo e requerem menos mão-de-obra", comenta o executivo.

Além da necessidade de melhorias na rede de transportes, as redes hoteleira, de energia elétrica e de comunicação terão que ser ampliadas para suportar os visitantes e não entrarem em colapso durante os eventos. Também haverá necessidade de reformas e a construção de novos locais para a realização das competições. Para as Olimpíadas, a demanda é de pelo menos 20 mil acomodações, segundo exigência do Comitê Olímpico Internacional (COB), que requer 43 mil quartos - a cidade do Rio conta com 23 mil atualmente.

O cronograma estreito a ser cumprido remete a novas alternativas em termos de sistemas construtivos. Um deles é o de Paredes Duplas, amplamente difundido na Europa e que surgiu como uma solução para a falta de mão-de-obra naquele continente, o processo completamente automatizado chegou ao Brasil em 2009, por meio da Sudeste Paredes Duplas.

Casagrande explica que a utilização de um sistema lógico implica no decréscimo de aproximadamente 30% no tempo de construção. "A produção automatizada, com projetores a laser, determinam o formato do elemento nas formas de aço, sendo o processo monitorado a partir de uma sala de controle informatizada. Essa tecnologia, além de eficiência e rapidez na produção, confere qualidade insuperável. A vida útil é maior do que nos métodos construtivos tradicionais, pois a produção é controlada e não há necessidade de se fazer massa para regularizar paredes e lajes".

A questão do controle envolve a padronização e a qualidade da obra, esclarece Casagrande. Segundo ele, o processo industrial automatizado permite a rastreabilidade do que é produzido. "Com o sistema construtivo de Paredes Duplas, a produção é totalmente automatizada, garantindo exatidão à geometria dos elementos, à mistura do concreto e ao posicionamento das telas e das treliças metálicas, fatores determinantes para um resultado final de alta qualidade e durabilidade. Comparativamente, o sistema artesanal, de mão-de-obra intensiva está muito mais pré-disposto a incorreções do que o sistema construtivo de Paredes Duplas. Também é importante considerar que a estrutura de Paredes Duplas dispensa o reboco, uma massa mais sensível do que a alvenaria e, portanto, mais susceptível ao desgaste", afirma o engenheiro.

Outras vantagens relatadas por Casagrande envolveriam a customização, já que aberturas elétricas e hidráulicas, entre outras, poderiam ser planejadas e determinadas em projeto para a colocação de tubulação de utilidades. Ademais, o resíduo gerado é zero, o que implicaria em uma obra ecologicamente correta. Diante da escassez de tempo, um sistema lógico frente ao artesanal, com economia de materiais e agilidade de construção, pode ser a alternativa para a modernização que a indústria da construção civil brasileira tanto precisa.

Paredes Duplas Sudeste® - As paredes são desenhadas em uma fôrma por um sistema a laser, de forma automatizada, que permite a projeção de peças 100% personalizadas. Cada peça (parede ou laje) pode ter até 13,30 m x 3,20 m de comprimento e 37 cm de espessura e todas dispensam acabamentos, como massa fina.

Perfil da Sudeste - Presente no mercado da construção industrializada, de pré-fabricados, a Sudeste® traz, com exclusividade, o método construtivo das paredes duplas, uma tecnologia automatizada que está revolucionando a construção civil na Europa e Estados Unidos. As Paredes Duplas Sudeste® representam o que há de mais moderno e tecnológico na área de construção. Em uma planta de 50 mil m², na cidade de Nova Odessa, Região Metropolitana de Campinas, São Paulo, a primeira fábrica da América Latina das Paredes Duplas Sudeste® é totalmente controlada por tecnologia de ponta e programas de automação.

Fonte: Portal Fator Brasil - RJ

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: