menu-iconPortal AECweb

CUB registra queda em março

Texto: Naíza Ximenes

Os dados são do SindusCon-SP e da FGV

foto de vários pallets de madeira, um sobre o outro, em um depósito de materiais de construção
O CUB representa o resultado da soma dos materiais, dos custos com administrativo e da mão de obra utilizada durante a construção, dividido pela área construída (Foto: cunaplus/Shutterstock)

04/04/2023 | 14:28  O Custo Unitário Básico (CUB) global da indústria da construção do Estado de São Paulo, índice oficial que reflete a variação dos custos das construtoras, registrou queda de 0,18% em março deste ano. Os dados são do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Segundo a pesquisa, com o resultado, o indicador acumula variação negativa de 0,24% no ano e alta de 8,02% no acumulado de 12 meses.

Cálculo

O CUB representa o resultado da soma dos materiais, dos custos com administrativo e da mão de obra utilizada durante a construção, dividido pela área construída.

Em março, a variação com materiais foi de -0,55%, ao passo que a variação com custos com administrativo, ou seja, o salário dos engenheiros, foi nula. A variação relativa à mão de obra, por sua vez, cresceu 0,09% em março.

Em 12 meses, as variações acumularam altas de 10,48% com mão de obra; 4,82% com materiais; e 9,91% com custos administrativos. O CUB representativo da construção paulista (R8-N) ficou em R$ 1.909,14 por metro quadrado em março.

Leia também

Abramat descreve desempenho da Indústria de Materiais de Construção como regular
Venda de imóveis cresce e lançamentos caem em SP no mês de fevereiro
Simpósio Brasileiro de Impermeabilização anuncia data da 17ª edição

Com desoneração

Nas construções incluídas na desoneração da folha de pagamentos, o CUB também registrou declínio de 0,19% em março. O acumulado no ano foi de -0,26%, e, em 12 meses, de 7,81% durante o mês de março.

Nesta modalidade, o custo médio da construção paulista (R8-N) subiu para R$ 1.783,62 por metro quadrado no terceiro mês do ano.

Em relação ao mês de fevereiro, os custos com o administrativo tiveram variação nula. Os custos desonerados relacionados aos materiais foram negativos, de 0,55%, e, com a mão de obra, de 0,11%.

Para acessar a íntegra da pesquisa, clique aqui: sem desoneração e com desoneração.

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: