Custo da construção avança 0,50% no mês, mostra FGV

Texto: Redação AECweb

No mês anterior, a taxa havia sido de 0,25%.

25 de novembro de 2011 - O Índice Nacional de Custo da Construção - M (INCC-M) registrou, em novembro, taxa de variação de 0,50%, acima do resultado do mês anterior, de 0,20%, segundo levantamento divulgado nesta sexta-feira (25) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,27%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,25%. No índice referente a Mão de Obra, registrou-se variação de 0,73%. No mês de outubro, a taxa foi de 0,16%.

No grupo Materiais, Equipamentos e Serviços, o índice correspondente a Materiais e Equipamentos registrou variação de 0,26%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,23%. Três dos quatro subgrupos componentes apresentaram acréscimo em suas taxas de variação: materiais para instalação (-0,20% para -0,19%), materiais para acabamento (0,23% para 0,36%) e equipamentos para transporte de pessoas (0,59% para 0,93%).

A parcela relativa a Serviços passou de uma taxa de 0,34%, em outubro, para 0,30%, em novembro. Neste grupo, vale destacar a desaceleração do subgrupo serviços técnicos, cuja taxa passou de 0,50% para 0,32%.

O grupo Mão de Obra registrou variação de 0,73%, em novembro. No mês passado, a taxa havia sido de 0,16%. Em Recife, este grupo registrou variação de 6,94%, por conta de reajustes salariais ocorridos em função da data base. No mês anterior não houve impacto. Em Brasília, a taxa de 3,75% decorre de adicional previsto no acordo coletivo.

Três capitais tiveram aceleração: Brasília, Recife e Rio de Janeiro. Em sentido oposto, Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo tiveram desaceleração. Salvador registrou a mesma variação da apuração passada.

Fonte: Jornal do Commercio