Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Custo da construção paulista sobe 3,33% em maio

Texto: Redação AECweb

Em maio, os custos das construtoras com materiais de construção se elevaram 0,19% em comparação a abril.


02 de junho de 2011 - O CUB (Custo Unitário Básico) da construção civil do Estado de São Paulo registrou em maio aumento de 3,33% em relação a abril. Calculado pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) e pela FGV (Fundação Getulio Vargas), o CUB é o índice oficial que reflete a variação dos custos do setor para a utilização nos reajustes dos contratos de obras.


Em maio, os custos das construtoras com materiais de construção se elevaram 0,19% em comparação a abril. Já os custos com mão de obra cresceram 5,78% e os salários dos engenheiros aumentaram 6,77%. A média ponderada entre os três itens resultou na variação de 3,33% do CUB representativo da construção paulista (RN-8), que neste mês ficou em R$ 939,37 por metro quadrado.


"O CUB sofreu forte influência do acordo coletivo firmado em maio com o Sintracon (reúne os trabalhadores da capital paulista), o que ocasionou a elevação com o custo da mão de mão", informou o diretor de Economia do SindusCon-SP, Eduardo Zaidan. "Como os acordos com os sindicatos de trabalhadores do interior do Estado foram fechados mais tarde que o da capital paulista, deverá haver ainda algum aumento residual em junho nesse custo", disse ele.


Zaidan observou que o aumento do custo com os insumos da construção em maio foi de apenas 0,19%, "abaixo da média dos últimos 4 meses anteriores (janeiro a abril) de 0,26%". Ele destacou que alguns insumos aumentaram por conta do preço do petróleo, seja por serem derivados dessa matéria-prima (como plásticos e asfalto) seja pelo peso do frete no transporte.


No acumulado de 2011, o CUB registra alta de 4,11%. Nos últimos 12 meses encerrados em maio, a variação é de 6,52%.


Ainda em maio, 11 dos 41 insumos da construção pesquisados aumentaram acima do IGP-M do mês, que se elevou 0,43%.

Fonte: SindusCon-SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: