Custo de mão de obra na construção pesa e inflação do aluguel sobe

Texto: Redação AECweb

Materiais, equipamentos e serviços tiveram aumento de 0,50% (quase o dobro do visto em abril, 0,27%)

19 de maio de 2011 - O IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), que é usado no reajuste de contratos de aluguel, avançou na segunda leitura prévia de maio, ficando em 0,66% - contra 0,55% um mês antes. A alta no custo da mão de obra na construção civil teve forte alta, o que pressionou o indicador. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

A mão de obra na construção ficou 2,90% mais cara - aumento acentuado na comparação com a segunda prévia de abril (quando o aumento foi de 0,74%). Materiais, equipamentos e serviços tiveram aumento de 0,50% (quase o dobro do visto em abril, 0,27%).

No bolso do consumidor, os alimentos pesaram mais – com destaque para hortaliças e legumes, panificados e biscoitos e laticínios. Além disso, também subiram os preços de roupas, medicamentos em geral, cigarro, show musical e tarifa de eletricidade residencial. Já o álcool combustível e o seguro facultativo para veículo tiveram recuo.

Entre as matérias-primas, subiram os preços do minério de ferro, da cana-de-açúcar e da mandioca - algodão em caroço, soja em grão e laranja, no entanto, tiveram queda de preço.

Fonte: R7