Edifícios terão paredes com isolamento termoacústico

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Projetos devem seguira nova Norma de Desempenho da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)

09 de setembro de 2013 - Os novos prédios residências construídos no pais vão precisar obrigatoriamente ter paredes com revestimento acústico e isolamento térmico. Os projetos de construção desenvolvidos a partir de 19 de julho deste ano devem seguir a nova Norma de Desempenho da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que estabelece os critérios mínimos de desempenho dos edifícios.

Os isolamentos acústico e térmico são os que mais se destacam, em meio a outras especificações técnicas que afetam mais os construtores e interferem menos na rotina dos futuros moradores.

Os parâmetros para garantir os ideais de conforto sempre existiram, mas a sua obrigatoriedade tenderá a elevar o nível de comprometimento de toda a cadeira produtiva envolvida: dos fornecedores de material às imobiliárias.

O principio de redução de ruídos externos, por exemplo, vai exigir que materiais usados nas esquadrias (portas, janelas, venezianas) tenham tecnologia compatível com as especificações previstas. Nesse deve criar e distribuir produtos tecnicamente adequados e economicamente viáveis.

Na opinião da consultora em projetos de Arquitetura e Engenharia Legal, Adriana Roxo, a regulamentação não trouxe novidades nos métodos construtivos. "A ABNT reuniu normas já existentes e aprimorou adaptando-as às situações", explicou.

Os requisitos fixados, embora já conhecidos, eram preocupações rigorosas apenas em parte das construções, naquelas que primavam pela boa prática, segundo Vicente Giffoni, presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA/RJ). Giffoni acredita que a publicação da Norma NBR 15.575 tornará essa pratica generalizada entre todas as construtoras.

A regra é clara: todos os empreendimentos que saírem do papel terão de seguir a recomendação. E nisso incluem-se toda sorte de modelos prediais, dos populares aos mais sofisticados.

Para tomar seu conteúdo acessível ao público e orientar a aplicação da norma aos profissionais,a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) desenvolveu o Guia Orientativo.

Fonte: O Dia