Efeitos do Minha Casa, Minha Vida começam a ser vistos em junho

Texto: Redação AECweb

Prazo médio de construção das moradias, na avaliação do Governo, é de um a um ano e meio

11 de maio de 2010 - Os efeitos do programa Minha Casa, Minha Vida começarão a ser vistos a partir de junho. Isso porque o prazo médio de construção das moradias, na avaliação do Governo, é de um a um ano e meio, disse o presidente do Conselho Consultivo do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), Romeu Chap Chap.

De acordo com dados da CEF (Caixa Econômica Federal) e do Ministério das Cidades, divulgados em abril, aproximadamente 90 mil famílias estão em novas casas. "Um número tímido, considerando o tamanho do Brasil e o nosso crônico deficit habitacional", afirmou Chap Chap.

Entre os motivos para o número baixo, estão o tempo médio de aprovação de empreendimentos, a velocidade das prefeituras na oferta de áreas para habitação e a legislação ambiental.

Contudo, segundo Chap Chap, mais de 800 mil pedidos de unidades para morar foram para análise e cerca de 410 mil foram contratadas.

Dificuldades
O presidente do Conselho Consultivo do Secovi-SP acredita que o programa vai alcançar a meta de um milhão de moradias aprovadas, contudo há algumas dificuldades para que elas sejam construídas.

"É notável a pouca disponibilidade de pessoas devidamente preparadas para tocar projetos nas centenas de agências da instituição [Caixa Econômica Federal], cuja capilaridade é decisiva no processo", disse Chap Chap.

Fonte: Infomoney - SP