Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Elevadores com mais segurança terão preferência das construtoras

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Ideia é divulgar as empresas que já colocaram equipamentos seguros no mercado

04 de junho de 2013 - O vice-presidente de Relações Capital-Trabalho do SindusCon-SP, Haruo Ishikawa, propôs a representantes das empresas fabricantes e locadoras de elevadores de obra, durante uma reunião ocorrida em 3 de junho, no SindusCon-SP, uma agenda positiva cujo objetivo é divulgar em nível nacional os equipamentos que já tenham um grau de segurança de acordo com o que exige a Portaria 644, de 9/5/2013, publicada no DOU em 10/5/2013.

Segundo Ishikawa, a ideia é divulgar as empresas que já colocaram equipamentos seguros no mercado. “Temos a obrigação e o dever de colaborar com os bons fabricantes e afastar do mercado a concorrência desleal. Queremos trabalhar para mudar a imagem do setor e mostrar para as construtoras que o custo de uma manutenção boa e segura não é nada comparado ao custo total da obra. Mais do que isso, queremos alertar as empresas de que o INSS tem investido em ações regressivas contra elas. O custo de uma ação deste tipo dói fundo no bolso”, comentou.

A Portaria 644 altera a redação do item 18.14.23.7 e dos subitens 18.14.23.7.1 e 18.14.23.7.2 da NR 18, dando prazo de 12 meses para a instalação e utilização de elevadores de passageiros tracionados com um único cabo, desde que atendam à NR 18. Depois deste prazo, os elevadores de um cabo já instalados serão autorizados a operar por mais 12 meses e as novas instalações precisarão atender também ao disposto na NBR 16.200.

Ishikawa também chamou a atenção dos fornecedores de elevadores de obra para o prazo final da consulta pública na NR 18, que termina em 22 de julho. “Até lá, esperamos que vocês enviem suas observações, sugestões de mudanças e argumentos técnicos para que possamos ter uma nova redação muito mais atual e eficiente”, disse.

O auditor fiscal do Trabalho, Antonio Pereira, falou na reunião sobre os problemas que os fiscais têm encontrado nas obras e recomendou aos fabricantes que se debrucem sobre estes pontos para melhorar seus equipamentos. Além disso, ele insistiu que os fabricantes não deveriam vender os elevadores sem a garantia de que farão a manutenção preventiva do equipamento e que o treinamento e a qualificação dos montadores e dos operadores precisa ser feito sobretudo pelos fornecedores. “Temos de fazer urgente um upgrade no treinamento desta gente”, disse.

Fonte: Sinduscon – SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: