Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Emprego na construção civil cresce 0,84% no País, aponta Sinduscon-SP

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Número mostra uma desaceleração em relação ao mesmo período do ano passado

24 de agosto de 2012 - O nível de emprego na construção civil brasileira cresceu 0,84% em julho ante junho, com a contratação de mais 28,1 mil trabalhadores com carteira assinada no País. Os dados são da pesquisa mensal feita pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Com o resultado de julho, o emprego no setor acumula variação positiva de 6,98% de janeiro a julho de 2012, com a contratação de 221,5 mil pessoas. Este número mostra uma desaceleração em relação ao mesmo período do ano passado, já que a construção civil brasileira havia contratado 228,2 mil trabalhadores (+8,07%). Em 12 meses, o crescimento do emprego no setor está acumulado em 6,41%, ou 204,4 mil novas vagas, desempenho também inferior ao apurado exatamente um ano antes, de +233 mil vagas, ou alta de 8,25%.

Em nota, o presidente da entidade, Sergio Watanabe, disse que a desaceleração do crescimento do emprego, somada a outros indicadores que denotam queda da atividade econômica, fizeram o Sinduscon-SP rever sua expectativa de crescimento da construção em 2012 de quase 5% "para algo acima de 4%". Segundo ele, apesar de o resultado da construção provavelmente crescer mais do que o dobro do estimado pelo mercado para o PIB do País neste ano, a desaceleração da construção é um alerta para o governo e, a seu ver, seriam necessárias novas medidas para o setor. "É preciso equacionar o Programa Minha Casa Minha Vida para que ele deslanche na faixa de renda das famílias mais desfavorecidas, com renda mensal de até R$ 1,6 mil. No PAC, o governo federal precisa agilizar a execução do Orçamento para este ano, pois o pacote de concessões só vai surtir efeitos práticos em 2013/2014. E as prefeituras precisam agilizar as aprovações de projetos de construção para que o setor imobiliário possa manter sua atividade", afirmou o especialista.

Com as novas contratações, a construção brasileira empregava até o final de julho 3,4 milhões de trabalhadores com carteira assinada. Destes, perto de 1,7 milhão estava na Região Sudeste; 718,8 mil, na Nordeste; 476 mil, na Sul; 275,4 mil, na Centro-oeste, e 212,6 mil, na Norte. Em julho, o emprego na construção cresceu em relação a junho em todas as regiões do País, com destaque para o norte (+2,78%) e o sudeste (+0,91%).

No Estado de São Paulo, o número de contratações na construção cresceu 0,54% em julho, com o registro de 4,6 mil contratações. No acumulado de janeiro a julho, foram contratadas 45 mil pessoas no setor (+5,51%) e, em 12 meses, 35,6 mil (+4,31%).

Fonte: DCI

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: