Escassez de qualificados é o principal gargalo da construção civil

Texto: Redação AECweb

Levantamento foi realizado pela FGV junto a empresários do setor

25 de abril de 2012 - A escassez de mão de obra especializada continua sendo a principal limitação à melhoria dos negócios na construção civil (41%), seguida de competição no próprio setor (26,5%) e de demanda insuficiente (12,9%).

O levantamento, realizado pela FGV junto a empresários do setor, foi apresentado pela economista da FGV Ana Maria Castelo, na Reunião de Conjuntura realizada pelo Setor de Economia do SindusCon-SP em 17 de abril, no sindicato. Aberto pelo presidente do SindusCon-SP, o encontro foi conduzido pelo vice-presidente de Economia, Eduardo Zaidan.

Quanto ao desempenho do setor imobiliário do município de São Paulo, chamou atenção a queda dos lançamentos no início de 2012, em face do aumento do estoque de unidades novas ofertadas ao longo do ano de 2011.

A economista também mostrou que, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o ritmo de crescimento do emprego na construção em obras públicas, que vinha caindo desde setembro de 2010 e teve desempenhos negativos desde abril de 2011, voltou a elevar-se em níveis positivos nos últimos meses.

Em relação aos materiais de construção, constatou-se expansão no comércio varejista e declínio na produção nacional, comprovando o avanço dos importados. Em 2012, o nível de utilização da capacidade ociosa da indústria de materiais declinou de 88,7% (janeiro) para 86,4% (março).

Ao final, o economista da FGV Robson Gonçalves apresentou um quadro do cenário macroeconômico, com destaque para o bom desempenho do setor de serviços, em contraposição ao da indústria.

Fonte: Sinduscon - SP