Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Estado de MG atinge 47% da meta do Minha Casa, Minha Vida

Texto: Redação AECweb

Banco prevê que a maioria dos imóveis deve ser entregue só no ano que vem

20 de abril de 2010 - Em Minas Gerais, a Caixa Econômica Federal financiou no primeiro ano do programa Minha Casa, Minha Vida 41.774 imóveis, com investimentos na ordem de R$ 2,38 bilhões. Com isso, o Estado já cumpriu 47,2% da meta de contratar, até o fim do ano, 88.485 unidades.

O percentual é superior à média nacional. No Brasil, o banco público contratou 408.674 imóveis, com investimentos de cerca de R$ 22,8 bilhões, 40,9% do previsto, que era a contratação de 1 milhão de casas.

"O objetivo do programa está sendo cumprido", disse o gerente regional de habitação da Caixa, Marivaldo Araújo. Segundo balanço da Caixa, das 41.774 unidades contratadas, 19.042 foram para famílias com renda até três salários mínimos, 19.981 para as que recebem de três a seis salários e 2.751 para as famílias com renda de seis a dez mínimos.

"Isso demonstra que o objetivo de focar as famílias de baixa renda deu certo", completou. Com o consumidor que se enquadra na faixa de seis a dez salários mínimos tem mais acesso ao Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), o volume liberado para essa categoria foi menor, segundo Marivaldo. A Caixa avalia no momento a contratação de mais 19.700 unidades no Estado.

Os subsídios para quem ganha até três salários mínimos são de até R$ 40 mil. Já para a faixa de seis a dez salários, o desconto pode chegar a R$ 17 mil. Além disso, todos os participantes têm isenção do seguro habitacional e direito ao fundo garantidor em caso de desemprego, além de taxas de juros diferenciadas.

O programa, lançado em abril de 2009 pelo governo federal, tem como objetivo implementar o Plano Nacional de Habitação, aumentar o acesso das famílias de baixa renda à casa própria e gerar emprego e renda por meio do aumento do investimento na construção civil.

No mês passado, foi lançado o PAC2, que prevê investimentos para construção de 2 milhões de novas moradias. Segundo Araújo, 2010 "será o ano da contratação" dos projetos. A previsão é que a maioria das unidades seja entregue apenas no ano que vem.

"O ciclo da construção civil é muito longo", justificou. Ele conta que a fase de análise e contratação é rápida. Mas o projeto demora de 12 a 15 meses até chegar à instituição. Depois de contratada, o período da obra varia de 12 a 18 meses.

Em Minas Gerais, a primeira obra para faixa de zero a três salários mínimos deve ser inaugurada nos próximos meses, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Já a capital mineira tem problemas para a execução do programa, devido à falta de terrenos.

Fonte: O Tempo - MG

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: