Estrutura metálica cai sobre arquibancada do Itaquerão

Texto: Redação PE

Uma parte da estrutura metálica do Itaquerão desabou nesta quarta-feira e destruiu parte do novo estádio do Corinthians. De acordo com o Corpo de Bombeiros, duas pessoas morreram e uma se feriu no acidente que atingiu a cobertura da arquibancada localizada atrás de um dos gols. A arena estava com 94% das obras prontas e tinha inauguração prevista para janeiro de 2014.

O acidente aconteceu quando um guindaste içava uma peça de 500 toneladas da cobertura. Era a última que faltava para a conclusão da área leste. Informações de responsáveis pela obra indicam que o guindaste se partiu e caiu sobre a arquibancada destruindo dois andares.

A Odebrecht, responsável pela construção do estádio, até o momento da publicação desta notícia, não explicou a causa do acidente. Serão feitos estudos para verificar se a queda de parte da arquibancada impedirá o estádio de receber o primeiro jogo da Copa do Mundo. Haverá uma reunião de emergência entre o COL (Comitê Organizador Local) e Odebrecht. A organização da Copa de 2014 já foi informada sobre o acidente.

O maior guindaste do País

De acordo com a construtora, equipamento envolvido no acidente é da marca Liebherr (LR 11350) de 1,5 toneladas e 114 metros, o equivalente a um edifício de 40 andares. O megaguindaste também acabou entrando na rota dos aviões que pousam no Aeroporto Internacional de São Paulo e também na rota dos helicópteros que sobrevoam a região. O processo de cobertura da Arena, além da sua própria complexidade, acabou gerando uma grande polêmica que provocou alterações na altura dos vôos.

Para utilizar o guindaste, a Odebrecht fez um pedido em agosto de autorização à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), ao Conar (Congresso Nacional da Aviação Regional) e ao Corpo de Bombeiros. O equipamento erguia a última peça da cobertura que estava sendo instalada no Itaquerão.

Esse é o mesmo modelo utilizado em Londres, antes da realização dos Jogos Olímpicos, para erguer a última e maior das pilastras para a montagem do sistema que conectou, por meio de um teleférico sobre o rio Tâmisa, duas instalações esportivas na região Leste da cidade.

Leia mais

Fonte: Folha SP/Uol/ Odebrecht/Departamento de Controle do Espaço Aéreo, ANAC, SRPV-SP
Foto: reprodução/TV Globo