Falta de mão de obra qualificada é o maior problema para o setor da construção

Texto: Redação AECweb

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) foi divulgada na última sexta-feira, para balanço

02 de agosto de 2010 - A falta de qualificação profissional foi apontada como o principal problema para as empresas da área de construção civil, segundo pesquisa divulgada na última sexta-feira, dia 30, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com o levantamento, a pouca qualificação é um problema para 62% das empresas. Entre as grandes corporações, essa preocupação parece ser ainda maior: 80% delas aponta ser a falta de qualificação o maior problema. Entre as médias empresas, esse percentual fica em 63,4%. Para as pequenas empresas, a falta de qualificação fica atrás apenas do acesso ao crédito, apontado como o maior entrave para 64,6% dos entrevistados.

No caso das médias empresas, 63,45 delas disse ser esse o principal problema. Para as pequenas, a falta de qualificação profissional ficou atrás da questão do acesso ao crédito, no qual 64,6% delas disseram ser esse o maior problema contra 57,3% da qualificação.

Segundo o assessor econômico da Câmara Brasileira da Construção Civil (CBIC), Luiz Fernando Mendes, a falta de mão de obra qualificada no setor explica o tímido crescimento de alguns anos atrás.

"Estamos trabalhando com um setor que ficou muito tempo crescendo pouco. O que identificamos é que houve um conjunto de profissionais que foram para outros setores e esse pessoal saindo do mercado está tendo que se requalificar para voltar. Com o setor voltando a atividade, vai se ter uma maior procura por profissionais qualificados", afirmou.

O diretor de pesquisa da CNI, Renato da Fonseca, disse que o setor reconhece a falta de qualificação da mão de obra, mas já está tomando medidas para resolver a questão. "Hoje as empresas estão investindo muito na qualificação, as escolas de capacitação, como o Senai [Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial], estão intensificando o processo de capacitação para a construção civil, inclusive capacitando dentro do canteiro de obras. Isso vai certamente minimizar o problema", explicou.

Fonte: Agência Brasil - DF