Festa do SindusCon-SP relembra o ano e aponta tendências para 2012

Texto: Redação AECweb

Para o presidente Watanabe, embora os empresários tenham de ficar atentos à crise internacional, ela não deve causar temor ao Brasil.

16 de dezembro de 2011 - "Se o governo continuar ganhando sua aposta que fez na antecipação do início de queda dos juros, poderemos entrar em 2012 com um forte nível de atividade na construção civil", disse o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, no evento de confraternização do setor da construção civil, ocorrido em 15 de dezembro, no Buffet Rosa Rosarum. O evento reuniu cerca de 260 convidados, entre autoridades públicas, empresários e associados.

Para Watanabe, embora os empresários tenham de ficar atentos à crise internacional, ela não deve causar temor ao Brasil. "Temos de ficar atentos a como a Europa vai sair da crise. Se for de forma organizada, o impacto no Brasil será menor. Existe demanda interna por obras, vamos contratar quem esteja disposto a ingressar no setor e, se o governo corrigir os problemas do Minha Casa Minha Vida 2 e colocar dinheiro no PAC 2, a construção poderá crescer até acima de 5% em 2012", afirmou.

Segundo ele, hoje o governo conta com mais reservas em reais e dólares para irrigar o mercado com crédito, caso seja necessário, mas precisa reforçar o estímulo ao aumento da produtividade. "Vamos ter de discutir a produtividade do setor, sem dúvida. Não vai restar às empresas outra opção que não apostar na tecnologia", indicou Watanabe.

Ele agradeceu a toda Diretoria do SindusCon-SP, às entidades da construção e aos funcionários do sindicato, além das autoridades presentes.

Na ocasião, o economista e cientista social Eduardo Gianetti analisou o cenário de 2011 e descreveu os desafios e as perspectivas para a economia brasileira em 2012 (leia sobre a palestra aqui).

O SindusCon-SP destacou no evento que 2011 foi um ano de intensa atividade para o sindicato, com ênfase especial para o 83º Enic (Encontro Nacional da Indústria da Construção), promovido pela CBIC e organizado e coordenado pelo SindusCon-SP, com o apoio de diversas entidades do setor. A entidade também reafirmou sua aposta de que o ano que vem será próspero, com a construção crescendo 5,2% em 2012, para um aumento estimado do PIB de 3,5%.

O ano de 2011 também será lembrado no SindusCon-SP pelo lançamento do ConstruData, um serviço inédito que reúne on line análises econômicas, indicadores e os dados mais importantes do setor, e pela elevada participação das empresas associadas em inúmeros eventos, nas viagens internacionais e nas visitas de delegações estrangeiras ao sindicato. Além disso, as nove regionais e uma delegacia do SindusCon-SP ganharam neste ano benfeitorias para atender melhor os associados.

Cheque, selo e convênio – A festa foi marcada pela entrega de um cheque ao Seconci-SP cujo valor corresponde a parte do valor total arrecadado nas inscrições do 83º Enic e que se destinou às campanhas de erradicação do sarampo e de diminuição da incidência do câncer bucal. O presidente da Comissão Organizadora do Enic, Sergio Porto, e a vice-presidente de Responsabilidade Social do SindusCon-SP, Maristela Honda, fizeram a entrega do cheque ao presidente do Seconci-SP, Antonio Carlos Salgueiro de Araujo.

Na sequência, o SindusCon-SP recebeu oficialmente do Instituto Falcão Bauer da Qualidade (IFBQ) o Selo Ecológico Falcão Bauer outorgado ao 83º Encontro Nacional da Indústria da Construção, pelas ações de sustentabilidade desenvolvidas ao longo do evento. Sergio Porto recebeu o certificado das mãos do gerente geral do IFBQ, Ricardo Bauer.

Após a entrega do selo, o secretário de Estado do Meio Ambiente, Bruno Covas, e o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, foram chamados ao palco para assinar o Termo de Convênio firmado entre si visando a conjugação de esforços para a consolidação do processo de desenvolvimento sustentável na construção civil no Estado de São Paulo

Fonte: Sinduscon-SP