Fórum discute propostas para aquecer a construção civil

Texto: Redação AECweb

Objetivo do evento é mostrar as oportunidades que podem driblar a crise

18 de fevereiro de 2009 - Investir na construção de imóveis modulares, reduzir impostos para a aquisição de residências destinadas à locação e permitir a atividade comercial em imóveis residenciais são algumas das propostas que devem ser debatidas na próxima quinta-feira, dia 19, por empresários e instituições representativas do setor da construção civil. O evento “Crise, Criatividade e Mercado Imobiliário”, promovido pela Universidade Positivo, pretende discutir e lançar propostas para o setor, mostrando novas estratégias de negócio para os empresários do ramo – debate que ganha importância em momentos de crise.

“Falar que crise é oportunidade é muito fácil, mas quais são elas? Nosso objetivo é justamente trazer propostas concretas”, explica um dos organizadores do evento, o engenheiro e professor Ramiro Gonçalez. Nos últimos quatro meses, ele traçou as três propostas que serão debatidas no evento, aberto a profissionais do ramo e a empreendedores ou instituições interessados em investir no setor – que hoje, de acordo com os números do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Paraná (Sinduscon-PR), ainda não sofre retração, mas pode ser uma alavanca para a economia brasileira. “A construção civil mexe com todos os níveis da cadeia produtiva. Ela tem um efeito fantástico na economia”, diz Gonçalez.

O professor, que é especialista em inteligência de mercado, propõe a construção de imóveis modulares, que se adaptem às necessidades dos seus proprietários ao longo dos anos. “Será possível aumentar a área do seu apartamento comprando espaços vizinhos a ele. Vamos propor que haja essa flexibilidade cartorial. Hoje, nós estamos na ‘Idade Média’: é tudo fixo, registrado, burocrático.”

Outra proposta do engenheiro é reduzir ou mesmo eliminar o IPTU e o ITBI de residências destinadas à locação, para incentivar o investidor a apostar no mercado imobiliário.

A terceira proposta é regulamentar as residências em que há atividades comerciais, e estimular a prática – que hoje é proibida pela legislação. “Normalmente, essas pessoas perderam o emprego e passaram a fazer pequenas reformas de roupas, ou a amolar facas, ou a vender sanduíches em casa. Não podemos tampar os olhos para isso. Temos de promover o desenvolvimento do microvarejo e do microsserviço.”



Serviço
O evento “Crise, Criatividade e Mercado Imobiliário” acontece na quinta-feira, dia 19, das 19h às 22h, na Universidade Positivo (Auditório 2 do Bloco Amarelo). As inscrições podem ser feitas pelo e-mail posgraduacao@up.edu.br. O evento é gratuito. Mais informações no telefone (41) 3317-3111.

Fonte: Gazeta do Povo – PR - Estelita Hass Carazzai