Governo apresenta relatório sobre Engenharia de Projeto no Brasil

Texto: Redação AECweb

Documento é resultado de um workshop promovido por ABDI, Finep e BNDES

15 de maio de 2012 - A montagem de um Programa de Ação para o Fortalecimento da Engenharia de Projeto Brasileira é a principal recomendação do Relatório Final do Workshop Engenharia de Projeto no País, publicado este mês pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O documento é resultado de um encontro sobre o tema, promovido no início do ano pelas três entidades, com a participação de representantes de segmentos demandantes de engenharia de projeto, bem como executores de serviços.

O relatório chama atenção para a importância de ações governamentais estruturantes, que corroborem para o fortalecimento da engenharia brasileira. “É dentro desse propósito que foi proposto um programa de ação para o fortalecimento do setor, com medidas de curto, médio e longo prazos. No âmbito do Plano Brasil Maior, o relatório recomenda incluir a engenharia de projeto entre os setores beneficiados pela desoneração da folha de pagamento; estabelecer margem de preferência para aquisição de projetos nas licitações realizadas no âmbito da administração pública federal; introduzir o conhecimento embutido nos projetos de engenharia no critério de medição do índice de conteúdo local; e incluir o setor entre os beneficiários do Programa de Financiamento Estudantil (Fies)”, elenca a diretora da ABDI, Maria Luisa Campos Machado Leal.

O documento propõe uma política de compras de serviços para o fortalecer a demanda de engenharia de projeto no País. “O desenvolvimento da capacidade competitiva das empresas de engenharia é peça chave para a indução da capacitação tecnológica, inovativa e produtiva de grande parte da estrutura econômica do Brasil. Isso inclui o desenvolvimento de fornecedores de equipamentos, partes e peças de projetos de investimento industrial”, enfatiza Maria Luisa.

De acordo com o relatório publicado, o crescimento da demanda por serviços de engenharia de projeto no Brasil se evidencia a partir da exploração do pré-sal, dos investimentos no âmbito do Plano Brasil Maior, dos investimentos apontados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e da proximidade de grandes eventos internacionais, como a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas de 2016. Entre os principais entraves identificados no setor estão a falta de coordenação e previsibilidade da demanda interna, a fragilidade da estrutura de capital das empresas para contratação de projetos de porte, a inadequação dos mecanismos de financiamento, a carência de recursos humanos qualificados, a baixa atratividade do emprego e a inadequação do marco legal.

A diretora da ABDI reforça que a engenharia de projeto é considerada uma estratégia de desenvolvimento nacional, pois está diretamente ligada à atividade de inovação nas empresas. “Daí a importância de identificarmos os gargalos a serem enfrentados para recuperar a competência e a importância do Brasil nessa área e subsidiarmos proposições de políticas para o seu fortalecimento”, diz. O escopo desse diálogo abrange o fortalecimento de diferentes etapas da engenharia de projeto, tais como estudos técnicos e de viabilidade, levantamentos e inventários, projetos conceituais e básicos e outros.

Fonte: ABDI