Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Governo quer construir mais 2 milhões de casas

Texto: Redação AECweb

Essa é a meta do programa Minha Casa, Minha Vida 2 para 2011 a 2014, segundo adiantou ontem a presidente da Caixa Econômica Federal

1º de outubro de 2010 - O governo deve lançar ainda este ano o programa Minha Casa, Minha Vida 2 com a meta de construir 2 milhões de moradias entre 2011 e 2014. A informação foi dada ontem pela presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho, numa cerimônia no Rio. Ela contou ter tratado da nova versão do programa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em reunião na última segunda-feira.

"Há um processo de negociação para que isso aconteça até o fim do ano", disse Maria Fernanda, acrescentando que o presidente quer reproduzir a articulação com prefeitos e governadores da primeira fase do programa habitacional, que tinha como meta a construção de 1 milhão de casas, antes de lançar o plano, que só será executado pelo próximo governo.

"Seguramente isso será lançado para 2011. Já há uma previsão orçamentária", afirmou Maria Fernanda. "A nossa expectativa é ter uma média de 2 milhões de novas moradias, cerca de 60% delas para famílias de até três salários mínimos." Segundo a presidente da Caixa, também estão sendo ouvidos construtores e incorporadores para a formatação da nova fase do programa habitacional.

O orçamento ainda não foi definido, disse Maria Fernanda, mas "pode ser aproximadamente o dobro" da dotação de R$ 64 bilhões da primeira fase, com recursos da União e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Ela estimou que 680 mil casas do primeiro programa já foram contratadas.

Salto

"O objetivo é ter habitação e, na mesma intervenção, obras de saneamento. No PAC 2, estão previstas 800 praças, que serão áreas de lazer, de integração digital e de prática de esportes. O nosso desafio para os próximos quatro anos é trabalhar todos esses projetos de forma integrada", disse Maria Fernanda.

Segundo a executiva, a Caixa superou no início de setembro a marca de R$ 47 bilhões em operações contratadas para o setor imobiliário em todo o ano passado. Em três semanas, esse montante saltou para R$ 53 bilhões.

A expectativa do banco é fechar 2010 com R$ 70 bilhões contratados para habitação. Maria Fernanda afirmou que a capitalização de R$ 2,5 bilhões feita pelo Tesouro em agosto por meio de ações da Petrobrás deu condições confortáveis à Caixa para a perspectiva de aumento dos financiamentos.

"Tivemos uma capitalização agora que é mais do que suficiente, mesmo com a expectativa de ampliação de contratação", afirmou, afastando a necessidade de nova capitalização do Tesouro. "A nossa expectativa é de que, pelo menos para os próximos dois anos, tenhamos condições de execuções desses projetos, até porque a Caixa conta com outras fontes de captação de recursos."

Ontem, Maria Fernanda foi ao Rio para assinar, com o prefeito Eduardo Paes (PMDB), o acordo de investimentos que prevê a liberação da primeira parcela dos R$ 3,5 bilhões do FGTS para a segunda fase de revitalização da zona portuária do Rio. A partir de 2011, os recursos do fundo serão aplicados na operação consorciada urbana. Em outubro, uma concessionária será escolhida para realizar as obras sob o modelo de Parceria Público-Privada (PPP).

Moradias

2 milhões

de casas é a meta do Minha Casa 2

60 %

serão destinadas a famílias que recebem até 3 salários mínimos

680 mil

casas do Minha Casa 1 já foram contratadas, segundo a Caixa

Fonte: O Estado de S. Paulo - SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: