Grande ABC terá alta nas vendas de imóveis para 2º semestre

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Facilidade de financiamento e a necessidade da população pela moradia são os fatos que têm contribuído para o bom resultado

28 de agosto de 2013 - As construtoras que atuam nas sete cidades do ABCD estão otimistas com o acumulado do ano no que diz respeito à venda de imóveis. Segundo prévia da Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC (Acigabc) o primeiro semestre de 2013 foi o melhor dos últimos quatro anos, e a tendência é que o ritmo se mantenha bom nos próximos meses.

"A expectativa para o segundo semestre é boa. A facilidade de financiamento e a necessidade da população pela moradia são os fatos que têm contribuído para o bom resultado das vendas. Vale lembrar que o maior volume das vendas está concentrado entre a classe média e popular", afirmou o presidente da entidade, Milton Bigucci.

Para o executivo, que também preside a construtora Mbigucci, a crise economica foi driblada pelos empresários. "Se a economia seguir da forma que está, sem um fato novo, uma mudança brusca, o mercado imobiliário também continuará seguindo o bom ritmo do primeiro semestre."

Para ele, no entanto, a alta do dólar frente ao real pode ser um dos desafios daqui para frente. "O que preocupa agora é essa situação de mudança do câmbio, com a alta do dólar e a alta dos juros no Brasil", completou.

Números

Segundo a entidade, de janeiro a junho a região vendeu 3.957 unidades, alta de 16% ante ao 1º semestre de 2012, que teve 3.412 unidades vendidas.

Para a entidade, o destaque fica por conta da redução do estoque, de 4.408 unidades em 31 de dezembro de 2012 para 2.639 em 30 de junho de 2013.

No 1º semestre de 2013 o número de lançamentos foi inferior ao do 1º semestre de 2012, segundo a pesquisa. Foram lançadas 2.094 unidades contra 2.531 no 1º semestre de 2012, com redução de 17,3%. Já o movimento de recursos lançados no 1º semestre de 2013 foi de R$ 809.014.534,00 contra R$ 1.108.439.495,00 no 1º semestre de 2012.

Em relação ao 1º trimestre de 2013, com 944 unidades lançadas, houve um aumento de 21,8% para o 2º trimestre de 2013, com 1.150 unidades lançadas.

Do total de 2.094 unidades disponibilizadas no período na região, 1.129 unidades foram de 3 dormitórios, representando 53,9%, e 954 unidades de 2 dormitórios, que equivalem a 45,8%.

"Também tivemos lançamentos de 1 dormitório (11 unidades) com 0,5% de representação. Não houve lançamentos de 4 dormitórios no período", informa ainda documento oficial da entidade, divulgados na última semana.

Cidades

O destaque neste primeiro semestre foi a cidade de Santo André, com 732 unidades lançadas (35%) - movimentando R$ 283.370.448,00 milhões, equivalentes a 35% em volume de recursos do total de lançamentos da região. São Caetano do Sul lançou 492 unidades (23%) - R$ 206.638.936,00 milhões, que representam 26%. São Bernardo, seguindo a sequência decrescente, lançou 420 unidades (20%), movimentando R$ 171.973.960,00, que representam 21% dos aportes. Mauá teve 238 unidades lançadas (11%), com R$ 71.167.590,00, o que equivale a 8,8% dos recursos lançados. Diadema completa o total de lançamentos com 212 unidades lançadas (10%) - R$ 75.863.600 ou 9,3% dos recursos movimentados.

A Velocidade de Vendas sobre Oferta (V.S.O) no 1º semestre de 2013 foi de 9,22% em janeiro, 14,68% em fevereiro e 18,40% em março, 11,7% em abril, 18,65% em maio e 22,95% em junho, segundo a entidade.

O estoque atual, de 2.639 unidades, é o menor desde 30 de junho de 2012 (período equivalente) com 3.423 unidades, uma redução de 22,9%.

Fonte: DCI