Habitação quer impulsionar projetos para baixa renda

Texto: Redação AECweb

Obras atrasadas devem ser entregues em maio; Prefeitura de SP analisa quatro novos empreendimentos

21 de janeiro de 2010 - Emperrados durante 2009, a Prefeitura promete impulsionar os projetos de habitação social, aqueles direcionados a famílias de baixa renda - com renda mensal de até três salários mínimos - através do programa Minha Casa Minha Vida. Esta parcela da população cor- responde à maior parte dos 13 mil inscritos no Cadastro Habitacional de Araraquara.

Na cidade, as obras para este público estão concentradas em dois mutirões e dois conjuntos habitacionais que, juntos, devem gerar, ao menos, 900 novas residências, que abrigariam cerca de quatro mil pessoas. No entanto, dos quatro projetos apenas um está incluído no programa Minha Casa Minha Vida. Os outros três já estavam em fase de construção e estão com as obras em atraso.

Os novos projetos já estão em fase de análise técnica pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, já que foram entregues no ano passado. De acordo com a secretária Alessandra Lima, os empre-endedores têm interesse de construí-los no Adalberto Roxo, Vale do Sol, Iguatemi e Hortênsias. Ela ainda não prevê a quantidade de casas em cada empreendimento, mas explica que como o financiamento é feito pela Caixa Econômica Federal (CEF) não deve ultrapassar 500 residências, por projeto. "É a Caixa que aprova o financiamento e essa aprovação aceita lotes de no máximo 500 casas", explica.

Bairros
No Roxo, as casas ficarão em área zoneada pela Prefeitura, que no ano passado, alterou o Plano Diretor para pos-sibilitar a construção de ao menos três mil casas no bairro. No entanto, para construí-las, ainda depende do recebimento de projetos. "Ainda não sei quantas casas serão feitas lá", afirma. O projeto habitacional do município previa a construção de seis mil casas pelo programa Minha Casa Minha Vida, mas desde seu lançamento no início do ano passado na cidade, ainda não foram aprovados projetos para baixa renda.

No Jardim São Rafael 2, onde serão edificadas 490 casas, a construção já estava em análise quando houve o lançamento do projeto federal e acabou sendo incluído na Minha Casa. Lá, as obras estão adiantadas. A maioria das casas foi construída e já entra na etapa de acabamento. Neste caso, ao invés de atraso, a entrega da obra deve ser antecipada. "Temos previsão de conclusão para o ano que vem, mas como está adiantada, estamos prevendo que em outubro esteja tudo pronto", diz a secretária.

Fonte: Tribuna da Imprensa - SP