Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Haia, na Holanda, ganha projeto de arranha-céu mais alto da cidade

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

O edifício, apelidado de “The Grace”, foi desenhado pelo escritório de arquitetura Mecanoo, também holandês

projeto dos arranha ceus em haia na holanda
O projeto consiste em duas torres, uma de 150 metros de altura e outra de 180 metros, sobre uma base de 7 andares (Foto: Mecanoo/Divulgação)

12/08/2022 | 11:52 – Haia, o terceiro município mais populoso da Holanda e sede do Tribunal Internacional de Justiça das Nações Unidas, ganhou um projeto de arranha-céu que pretende ser o mais alto da cidade. Idealizado pelo escritório de arquitetura Mecanoo, também holandês, o edifício foi batizado de “The Grace”.

O projeto consiste em duas torres, uma de 150 metros de altura e outra de 180 metros. Elas ficarão sobre uma base de 7 andares, que será dividida em uma porção inferior e outra superior.

projeto de arranha-céus em haia, na holanda
(Foto: Mecanoo/Divulgação)

Na porção inferior, residirão os mais variados ambientes comerciais — de restaurantes a áreas de trabalho —, ornamentados com uma composição harmoniosa de fachadas abertas e fechadas, extremidades transparentes e arredondadas, diferentes paletas de cores e elementos variados nos materiais utilizados.

Na porção superior, por sua vez, o escritório optou por abrigar habitações, escritórios e instalações comuns, que serão rodeados por galerias — alternativa para proteger o espaço do vento e da chuva característicos da região, ao mesmo tempo que abrigam pedestres visitantes. Além disso, o ambiente ganhou um jardim verde elevado, que proporcionará uma visão panorâmica para o canal Trekvliet — uma estratégia para oferecer espaços públicos dinâmicos à população. Esse canal também será transformado em um parque à beira-mar para pedestres e ciclistas nos próximos anos, em uma outra iniciativa das diretrizes holandesas.

projeto de arranha-céus em haia, na holanda
(Foto: Mecanoo/Divulgação)

Ainda nos primeiros andares, será construído um hall “transparente”, que conectará todos os prédios do empreendimento. Ele terá áreas de trabalho e de reunião para os moradores, balcão de recepção para visitantes, visão geral das atividades nos espaços de coworking circundantes, pátios compartilhados, jardins na cobertura, cozinha comunitária, instalações esportivas, cinema, bicicletas compartilhadas e carros elétricos.

Por fim, somando as duas torres, serão construídas mais de 1.400 unidades residenciais acessíveis, como uma resposta à crescente demanda por moradias populares no local. Serão opções de 23 metros quadrados a 80 metros quadrados, que podem ter dois ou três quartos. A iniciativa também é fruto do planejamento de Haia em vista das previsões para os próximos anos na cidade — que preveem um crescimento considerável nos próximos 20 (de 525 mil habitantes para mais de 625 mil).

projeto de arranha-céus em haia, na holanda
(Foto: Mecanoo/Divulgação)

Assim, o município de Haia incentiva o adensamento urbano dentro do Distrito Central de Inovação (CID), uma área triangular delimitada pelas três estações de trem da cidade. Além das torres, também está sendo construída a ciclovia Velostrada, que ligará Haia às cidades vizinhas.

O projeto será construído entre os anos de 2022 e 2025 e conta com o apoio do Movement Real Estate, Grupo Van Deursen e da ARUP.

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: