Imóveis invadem a rede

Texto: Redação AECweb

Empresas do setor imobiliário investem nas mídias sociais para atrair os clientes

01 de novembro de 2011 - O mercado imobiliário começa a invadir as redes sociais. Atentas à popularização da internet, empresas do setor usam ferramentas como o Orkut, o Twitter e, principalmente, o Facebook para interagir com os clientes e fechar negócios. Além das páginas mais conhecidas, alguns profissionais investem na criação de redes temáticas, voltadas especialmente para assuntos do mercado.

Por ser um ramo novo de atuação, ainda é difícil medir, de forma precisa, o retorno de negócios fechados por meio de contatos feitos nas redes. Mas as empresas que já investem no mundo virtual avaliam de forma positiva a iniciativa. A administradora Primar Imóveis e Condomínios começou a atuar nas mídias sociais em março de 2010 e tem blog e perfis nas principais redes.

- Nossa maior publicidade é feita nesses meios. Desde março do ano passado, aumentamos em 80% as nossas vendas. Estimamos que as redes tenham contribuído em 70% para a alta - explica o diretor de Marketing da Primar, Carlos Samuel Silva.

A incorporadora e construtora Rossi também usa os novos canais para divulgar seus empreendimentos. Atualmente, segundo a empresa, cerca de 30% de suas vendas se iniciam na internet, seja por meio do site institucional ou pelas mídias sociais.

Outra novidade do mercado imobiliário no mundo virtual são as redes temáticas, como a Corretores.com.br. Com ambiente baseado no Facebook e no Twitter, o site é gratuito e restrito a profissionais do setor. Os corretores podem cadastrar as ofertas de imóveis para locação e venda, buscar outras opções anunciadas e, ainda, trocar informações.

- Hoje, a rede abrange todos os estados, alcançando mais de 440 cidades. Em dois meses, temos quatro mil usuários, com cerca de 15 negócios fechados. O objetivo é facilitar a conexão de informações entre os corretores. Para os clientes, ela agiliza a busca de imóveis - afirma um dos donos da rede social, Lorenzo Madalosso.

Também está disponível na web a Redimob, um ambiente gratuito, com abrangência nacional, aberto a todos os interessados em temas do setor. Lançado em outubro de 2010, ele conta com mais de dez mil usuários.

Fonte: Extra