Indicador de atividade da construção civil melhora em setembro, diz CNI

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Entretanto, ainda segue abaixo de 50 pontos, o que indica queda, explicou.
Atividade da construção manteve-se desaquecida no mês, informou CNI

25 de outubro de 2012 - O indicador de atividade da construção civil registrou melhora em setembro, quando somou 49,2 pontos, segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (25) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em agosto, o índice estava em 48,1 pontos. O levantamento foi realizado com 456 empresas do setor entre 1º e 11 de outubro.

Mesmo assim, a entidade informou que a atividade do setor recuou no mês passado, uma vez que o indicador permaneceu abaixo da linha de 50 pontos - o que indica queda no nível de atividade. "Entre os portes, a queda mais acentuada se deu nas pequenas empresas (indicador de 48,7 pontos)", acrescentou.

Segundo a Confederação Nacional da Indústria, a atividade da construção "manteve-se desaquecida no mês". "O indicador do nível de atividade efetivo em relação ao usual situou-se mais uma vez abaixo dos 50 pontos, em 47 pontos. Contudo, esse indicador apresentou
crescimento pelo terceiro mês consecutivo, mostrando relativa melhora", informou.

"A indústria da construção não vem vivendo um bom momento em 2012. A desaceleração do setor acompanha o desaquecimento da economia como um todo, principalmente da indústria. Em comparação com a indústria da transformação a desaceleração da construção é menos intensa", avaliou a CNI.

Indicadores financeiros

Os indicadores financeiros mostraram leve melhora, segundo o levantamento da CNI. A margem de lucro ainda foi considerada insatisfatória (46,8 pontos), mas de forma menos intensa que no trimestre anterior. A situação financeira foi avaliada como satisfatória (50,3 pontos), invertendo a avaliação negativa do trimestre anterior, acrescentou a entidade.

"O acesso ao crédito, contudo, continua difícil. Apesar da melhora em alguns indicadores, o cenário até fim do ano é incerto. As expectativas para os próximos seis meses continuam mostrando expectativa de crescimento, e ficaram mais positivas nos indicadores de nível de atividade e novos empreendimentos e serviços. Por outro lado, ficaram menos otimistas nos indicadores de compras de insumos e matérias-primas e número de empregados", informou a CNI.

Fonte: G1