Índice da construção apresenta aumento em fevereiro

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

FGV divulgou indicador nesta segunda-feira

25 de fevereiro de 2013 - O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) acelerou entre janeiro e fevereiro e passou de 0,39% para 0,8%, puxado principalmente pelo aumento do custo de mão de obra especializada, que subiu 1,12% no mês. O indicador foi divulgado nesta segunda-feira (25) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Desde o começo de 2013, a índice já acumula alta de 1,19% e, nos últimos 12 meses, de 7,35%. Dentre os três subitens do indicador, o que apresentou maior alta foi o relativo à mão de obra em geral, com alta de 1% em fevereiro. Em seguida, estão os gastos com serviços (0,69%), com destaque para o aumento dos custos com serviços técnicos (0,9%), seguido por aluguéis e taxas (0,67%) e serviços pessoais (0,47%).

Já o subitem materiais e equipamentos apresentou o menor avanço de preços no mês, com variação de 0,59%, puxando a média do INCC para baixo. Apesar de menor, a variação dos preços aumentou nos gastos com materiais para estrutura (0,16% para 0,31%), materiais para instalação (0,47% para 1,42%) e equipamentos para transporte de pessoas (0,39% para 0,90%). Já os gastos com materiais para acabamento tiveram leve decréscimo na variação, de 0,49% para 0,48%.

Isoladamente, os gastos com instalação hidráulica foram os que mais oneraram o setor da construção civil em fevereiro, com alta 1,81%. Já os materiais metálicos foram os que tiveram isoladamente a menor variação de preços, com 0,22% de alta.

Dentre as sete capitais pesquisadas pela FGV, cinco capitais apresentaram aceleração: Salvador, Belo Horizonte, Recife, Porto Alegre e São Paulo. Brasília e Rio de Janeiro registraram desaceleração. A capital mineira foi a que apresentou o maior aumento dos custos de construção em fevereiro, com alta de 3,48%.

Fonte: DCI