Indústria do cobre aumenta a produção no segundo trimestre de 2011

Texto: Redação AECweb

Apesar da crise internacional,estudo exclusivo do Sindicel revela que 44% dos empresários do setor estão otimistas com o mercado e seguem investindo no parque fabril

19 de agosto de 2011 - A indústria do cobre no Brasil está otimista também no que diz respeito à produção. Estudo exclusivo realizado pelo Sindicel (Sindicato da Indústria de Condutores Elétricos, Trefilação e Laminação de Metais Não-ferrosos do Estado de São Paulo) mostra que 50% dos fabricantes de fios, cabos e semimanufaturados de cobre e suas ligas utilizaram mais de 80% do parque fabril no segundo trimestre de 2011. Nenhuma das empresas registrou utilização da capacidade inferior a 60%. As que utilizaram entre 60% e 80% da produção também somam 50%.

“O crescimento dos setores como a construção civil, a energia e as telecomunicações vem gerando bons negócios para a indústria de cobre”, explica Sérgio Aredes, presidente do Sindicel. “Mesmo com a volatilidade das commodities no mercado internacional, o aquecimento da demanda interna mantém o setor otimista”, completa.

A sondagem revela, ainda, que apesar das incertezas do mercado internacional, os empresários mantiveram-se confiantes no segundo trimestre deste ano. Aproximadamente 44% dos executivos investiram na produção industrial durante o período. Para 6% deles, os aportes foram superiores a 10% e 38% registraram aporte de até 10%. Aqueles que mantiveram o mesmo nível de investimentos do primeiro trimestre somam 56%. 

Mesmo com dados positivos, Aredes alerta que o setor não está blindado em relação à concorrência externa. “A valorização do real frente ao dólar, a volatilidade das commodities e alta incidência tributária têm impactado diretamente na competitividade do setor”, conclui.

Fonte: Sindicel