Inflação do aluguel acelera no inicio de abril, diz FGV

Texto: Redação AECweb

Em 12 meses, o índice acumula alta de 3,29% e, no ano, de 1,12%. Inflação do atacado, usada para calcular o IGP-M, também avançou.


11 de abril de 2012 - O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), conhecido como a inflação do aluguel, porque é usado para reajustar a maioria dos contratos imobiliários, variou 0,50% na primeira prévia de abril, segundo aponta levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV), divulgado nesta quarta-feira (11). Na primeira prévia de março, a variação fora de 0,23%. Em 12 meses, o índice acumula alta de 3,29% e, no ano, de 1,12%.

Usado no cálculo do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), também chamado de inflação do atacado, acelerou de 0,21% na primeira semana de março para 0,47% no mesmo período de abril.

Também integrante do cálculo do IGP-M, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou variação de 0,47%, contra 0,25% em março. Das oito classes de despesa analisadas pela pesquisa, sete mostraram alta de preços, com destaque para o grupo alimentação (de 0,06% para 0,46%).

Seguiram o mesmo comportamento os grupos de despesa com vestuário (de -0,35% para 0,78%), transportes (de 0,19% para 0,39%), saúde e cuidados pessoais (de 0,33% para 0,58%), educação, leitura e recreação (de 0,09% para 0,31%), despesas diversas (de 0,17% para 0,34%) e comunicação (de 0,03% para 0,06%).

Na contramão, está o grupo habitação, cuja taxa de variação passou de 0,67% para 0,57%, com destaque para empregados domésticos (de 2,83% para 2,08%).

Custo da construção

Na primeira semana de abril, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) ficou em 0,76%, após registrar variação de 0,33% no mesmo período de março. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 0,43%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,64%. O índice que representa o custo da mão de obra variou 1,08%, no primeiro decêndio de abril. Na apuração referente ao mesmo período do mês anterior, o índice variou 0,03%.

Fonte: G1