Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Inflação do aluguel registra queda de 0,67% em 12 meses

Texto: Redação AECweb

IGP-M é usado como indexador em mais de 90% dos contratos em São Paulo

31 de julho de 2009 - Os inquilinos com contratos de aluguel indexados ao IGP-M com vencimento neste mês não terão acréscimo no valor pago.

Pela primeira vez desde maio de 2006, o índice de inflação usado como base em mais de 90% dos reajustes em São Paulo teve variação negativa, de 0,67%, nos últimos 12 meses.

Para contratos novos, no entanto, o aumento médio está na casa dos 11% desde abril na capital paulista. Com isso, é mais vantajoso continuar no mesmo imóvel do que se "aventurar" em busca de um novo.

De acordo com Roberto Akazawa, gerente do departamento de economia do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), unidades de dois dormitórios bem conservadas e bem localizadas na região central chegam a ter diferença de 21% no aluguel cobrado em junho no comparativo com dezembro. Na média, a variação é de 3,8% na cidade. "Há escassez de imóveis para alugar", afirma.

Roseli Hernandes, gerente da Lello Imóveis, contabiliza que há cerca de 2.000 pessoas aguardando por casas ou apartamentos de um ou dois dormitórios na capital."Quando o aluguel está estável, a tendência é as pessoas se acomodarem no mesmo imóvel para evitar despesas mais altas (ao iniciar contratos novos) e por medo de não achar", avalia.

Mesmo para os proprietários de imóveis é vantajoso arcar com a perda de renda mensal ao continuar com o mesmo morador em vez de ficar livre para reajustar o valor ao trocar de locatário. "Se for um bom inquilino, é interessante manter o contrato", completa Akazawa.

Aqueles que pagam o aluguel e o condomínio em dia e conservam o imóvel têm um trunfo na hora da renegociação, mesmo em áreas valorizadas.

Segundo Jaques Bushatsky, diretor do Secovi-SP, os inquilinos com contratos com vencimento agora podem até exigir a diminuição do aluguel, mas, por uma redução de apenas 0,67%, aconselha, "não vale a pena a briga". A pesquisa mais recente mostrou que um apartamento levava de 17 a 36 dias para ser alugado na capital.

O setor de habitação, que tem o maior peso dentro do IPC (Índice de Preços ao Consumidor), um dos componentes do IGP-M, teve alta de 5,17% nos 12 meses até julho. Salomão Quadros, coordenador de análises econômicas da Fundação Getulio Vargas, responsável pelo indicador, acrescenta que 25% dessa variação se deve ao aumento nos preços do aluguel (8,15%) e do valor cobrado por diaristas e mensalistas (8,53%).

Fonte: Folha de S. Paulo - SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: