Inflação medida pelo IGP-10 passou de 0,43% em julho a 0,15% em agosto

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Com resultado, IGP-10 sobe 2,25% no ano e 4,12% em 12 meses

15 de agosto de 2013 - O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) registrou alta de 0,15%, em agosto, após avanço de 0,43% em julho, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em agosto de 2012, a variação foi de 1,59%.

Com o resultado, o indicador acumula alta de 2,25% em 2013 e de 4,12% em 12 meses. O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Todos os três indicadores – atacado, varejo e construção civil - que fazem parte do IGP-10 registraram desaceleração em agosto.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), com peso de 60%, variou 0,19%, ante 0,49% em julho. Essa taxa menor foi puxada pelo IPA de produtos agropecuários, que recuou 0,45%, ante alta de 0,80% no mês anterior. Já o IPA de produtos industriais subiu para 0,43%, de 0,38%.

No varejo, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve deflação de 0,07% em agosto, ante alta de 0,13% em julho, com desaceleração em seis de suas oito classes de despesa. O principal destaque partiu do grupo transportes, que passou de queda de 0,06% para recuo de 0,49%, graças ao item tarifa de ônibus urbano, cuja taxa passou de 0,34% para menos 1,89%.

Taxas menores também foram registradas nos grupos habitação (0,52% para 0,27%), vestuário (0,03% para -0,93%), educação, leitura e recreação (0,47% para 0,29%), saúde e cuidados pessoais (0,42% para 0,33%) e comunicação (0,21% para 0,13%).

As maiores contribuições partiram dos seguintes itens: condomínio residencial (0,76% para menos 0,07%), roupas (0,25% para queda de 1,45%), passagem aérea (8,69% para recuo de 6,12%), medicamentos em geral (0,10% para baixa de 0,04%) e mensalidade para internet (deflação de 0,09% para deflação de 0,33%), respectivamente.

Apenas o grupo alimentação (menos 0,37% para menos 0,30%) registrou ligeira alta, com destaque para o item laticínios, cuja taxa passou de 2,33% para 3,51%.

O grupo Despesas Diversas variou 0,22%, taxa idêntica à apurada no mês anterior.

Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,35% em agosto, ante 0,71% em julho. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 0,39%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,47%. O índice que representa o custo da mão de obra variou 0,32%, em agosto. Na apuração referente ao mês anterior, o índice variou 0,94%.

Fonte: Valor Econômico