Inovações deixam casas da CDHU com ar mais sustentável, diz companhia

Texto: Redação AECweb

Entre os novos padrões estão moradias ecológicas, em que parte da energia virá do aquecimento solar

21 de outubro de 2009 - Com inovações em relação às antigas construções, como a implantação do terceiro dormitório, o aquecimento da água por meio de placas solares e a execução de obras para facilitar a acessibilidade universal dos moradores, as unidades habitacionais da Companhia de Desenvolvimento Habitacional de Urbano do Estado de São Paulo (CDHU) parecem seguir o conceito de sustentabilidade.

De acordo com a CDHU, entre os novos padrões estão moradias "ecológicas", em que parte da energia virá do aquecimento solar. Dessa forma, haverá uma redução na conta de energia elétrica.

Outras áreas também têm recebido inovações, como o pé-direito mais alto, que foi ampliado de 2,4m para 2,6m, piso cerâmico em toda a casa e azulejos na cozinha e no banheiro, laje, esquadrias de alumínio e estrutura de metal no telhado.

Na parte externa, o botijão de gás ganhou abrigo e a área de serviço foi coberta. Entre as casas, haverá muro divisório e os conjuntos habitacionais já começaram a receber paisagístico nas ruas, calçadas e espaços livres.

O governador José Serra assinou um decreto, em setembro de 2008, que determina a construção de moradias com até três quartos. Dentro das casas e apartamentos, as principais mudanças em estudo são portas e corredores com largura de 90 cm, espaço para manobra de cadeira de rodas na cozinha e no banheiro, interruptores e tomadas em altura adequada a todos os usuários.

Semana passada, o sonho da casa própria se tornou realidade para 135 famílias de Tupã, município da região administrativa de Marília. O vice-governador Alberto Goldman e o secretário de estado da Habitação e presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) estiveram na cidade para entregar as casas, construídas com o novo padrão de qualidade da CDHU. O investimento foi de R$ 9,3 milhões.

Fonte: DCI - SP