Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Investimentos na construção recuam 14%

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Este ano, queda de obras industriais foi a maior responsável pela retração

09 de setembro de 2013 - Os investimentos na construção civil, tanto públicos como privados, nas áreas residencial, industrial e comercial caíram 14,2% no primeiro semestre do ano, ante ao ano anterior, passando de US$ 301,53 bilhões em 2012 para US$ 258,71 em 2013. Os maiores responsáveis pela retração foram as obras industriais, com queda de 18,9% de janeiro a junho, segundo dados da consultoria Inteligência Empresarial da Construção (ITC), aos quais o DCI teve acesso.

Para o segundo semestre, o cenário seguirá em baixa, motivado pela redução dos aportes públicos e desaceleração da economia. "É provável que o mercado não dê grandes saltos", diz a diretora do ITC, Viviane Guirao.

Segundo o relatório semestral da ITC, nos seis primeiros meses, as obras industriais tiveram aportes de US$ 155,4 bilhões e a perspectiva é de que as dificuldades continuem. "Os investimentos nas indústrias estão contidos e as multinacionais estão adiando projetos", diz Viviane, lembrando que a indústria representa 70% dos recursos destinados aos investimentos na construção. A construtora cearense Rio Branco sentiu a retração. Segundo o presidente da empresa, Marcos Antonio Filho, muitas indústrias cancelaram projetos de expansão em função da crise mundial. "No início do ano, projetávamos crescer 15% no primeiro semestre. Mas alguns contratos que esperávamos fechar não foram concluídos, por isso crescemos só 5%", disse. Ele tem hoje três projetos de obras planejados para os próximos meses.

Já no segmento comercial, a redução no 1° semestre foi de 7,8%. Para o acumulado de 2013, a perspectiva do mercado é a redução se acentuar, em função da diminuição dos aportes públicos. O único setor que se manteve estável foi o residencial, com baixa de 0,4%.

Fonte: DCI

 

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: