Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Jacarepaguá receberá 6 mil moradias pelo Minha Casa, Minha Vida

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Programa beneficiará pelo menos seis mil pessoas

15 de janeiro de 2013 - O programa Minha Casa, Minha Vida está convocando empresas interessadas em construir o conjunto habitacional que será erguido na área da Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá. Serão 1.400 unidades de interesse social (para famílias com renda até R$ 1.600), segundo informações divulgadas pela Secretaria Municipal de Habitação. A expectativa é que o projeto beneficie pelo menos seis mil pessoas.

Pierre Batista, secretário municipal de Habitação, explica que as empresas precisam apresentar suas propostas para análise para que o projeto saia do papel."No dia 18 de fevereiro, receberemos sugestões das construtoras", explica Batista.

Segundo ele, a previsão de conclusão das obras e entrega das chaves é até o fim de 2014. "Mas queremos ver famílias morando lá ao longo do próximo ano", diz.

As propostas das construtoras serão avaliadas e receberão notas cujo somatório deverá ter pelo menos 50 pontos e no máximo 100. Quando o resultado da seleção for publicado no Diário Oficial, a construtora escolhida será habilitada a receber o financiamento.

Entre os critérios da análise estão sustentabilidade econômica, ambiental e de eficiência energética e ineditismo no projeto arquitetônico. "O projeto ainda não existe na Colônia, mas é uma área enorme que está recebendo um bom investimento do governo federal e municipal", avalia o secretário.

As unidades do conjunto habitacional - que vai ficar próximo à Linha Amarela - serão para reassentamento. Ou seja, destinadas a famílias que vivem em áreas de risco ou que tiveram que deixar suas casas por causa de obras da prefeitura. O conjunto ficará no cruzamento das avenidas Adauto Botelho e Sampaio Correia. Veja em: http://goo.gl/maps/VYCQs.

Impacto na área foi estudado

Para se instalar na Colônia Juliano Moreira, foram feitos estudos de planejamento, desde 2009, sobre os impactos viário e ambiental na região. De acordo com a Secretaria Municipal de Habitação, os dados também abrangem outros grupos de unidades habitacionais, como creches, escolas, centro comercial e centros comunitários como a Vila dos Idosos e Cooperativa Esperança. A prefeitura, em parceria com o governo federal, quer promover transformação: fazer da Colônia Juliano Moreira um bairro sustentável na economia e no meio ambiente.

Fonte: O Dia

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: