Kassab quer desapropriar 80 prédios no centro para fazer moradias populares

Texto: Redação AECweb

Primeiros decretos já foram anunciados

13 de julho de 2009 - A Prefeitura de São Paulo pretende desapropriar 80 edifícios no centro da cidade para fazer moradia popular. Os primeiros decretos de desapropriação já foram publicados. São imóveis na esquina das avenidas São João e Ipiranga, incluindo o antigo hotel Cinelândia. Só o hotel terá até 60 apartamentos.

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) prometeu, no plano de metas para a gestão, atender 4.300 pessoas até 2012 em prédios recuperados na área central. A maioria dos 80 edifícios já identificados têm dívidas de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) que superam o valor de mercado do próprio imóvel. A desapropriação, portanto, pode ser feita em troca do abatimento da dívida, sem que a prefeitura tenha de desembolsar dinheiro algum.

Ricardo Pereira Leite, presidente da Companhia Metropolitana de Habitação, disse que arquitetos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo estão analisando a estrutura dos imóveis para verificar se é possível transformá-los em habitação. Há casos de prédios que tinham outros usos –indústria, por exemplo- ou estão com a estrutura comprometida onde a recuperação é inviável.

A ideia é criar apartamentos com cerca de 50 m2 -o tamanho vai depender da arquitetura do edifício- e vendê-los, com financiamento a longo prazo, para famílias de baixa renda ou da classe média cadastradas na Cohab.

O programa Minha Casa Minha Vida do governo federal, de onde deve vir parte dos recursos para a recuperação dos edifícios, financia famílias com renda de até 10 salários mínimos (R$ 4.650).

O arquiteto Lúcio Gomes da Machado, da USP, disse que a medida da prefeitura é fundamental para revitalizar o centro, mas ressalva que só isso não basta. "Não pode ter só habitação para pobre. Aí você desqualifica o centro, que tem a melhor infraestrutura da cidade", disse.

Fonte: Folha de S. Paulo – SP - Evandro Spinelli