Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Mais de 400 mil imóveis foram financiados pelo programa MCMV

Texto: Redação AECweb

Números representam o maior volume, dos últimos vinte anos, de novas unidades habitacionais financiadas


 


20 de abril de 2010 - O Programa Minha Casa, Minha Vida teve, no primeiro ano de existência, 408.674 imóveis financiados, com investimentos de R$ 22,8 bilhões. No primeiro trimestre de 2010, 133.146 novas moradias foram financiadas pelo programa.

Isto representa o maior volume, dos últimos vinte anos, de novas unidades habitacionais financiadas. No ano passado, do total de casas financiadas pelas entidades integrantes do Sistema Financeiro de Habitação, 45,7% correspondem ao Minha Casa, Minha Vida.


 


Desde o lançamento do programa até a primeira quinzena de abril, a Caixa recebeu 813.719 propostas de 2044 construtoras. Desse número, mais da metade (480.668) foi destinada às famílias com renda até três salários mínimos. Já para as famílias com renda superior a três e inferior a seis salários, foram 167.368 financiamentos.

O objetivo do programa é implementar o Plano Nacional de Habitação, construir um milhão de moradias, aumentar o acesso das famílias de baixa renda à casa própria e gerar emprego e renda por meio do aumento do investimento na construção civil.


 


Simulador
De acordo com o simulador de financiamento disponível na página da Caixa Econômica, a demanda por habitação deve continuar aquecida e em ascensão nesse ano. O simulador permite ao cliente conhecer as condições e possibilidades disponíveis. Em março de 2010, a página registrou 18,8 milhões de simulações de financiamentos habitacionais. E a expectativa é superar, em maio - mês de Feirão da Casa Própria no País - o recorde de 24 milhões registrados no mesmo período de 2009.


 


Nova medida beneficia moradores de áreas de risco


Critérios do programa Minha Casa, Minha Vida podem ser usados para moradias construídas ou em construção com recursos do fundo do Programa de Arrendamento Residencial (PAR). O objetivo é atender famílias de baixa renda moradoras de áreas de risco que recebem até R$ 1.395. O novo critério foi definido pela Portaria nº 153, publicada na sexta-feira (16), no Diário Oficial da União.


 


As prefeituras devem apurar quantas casas estão prontas e quantas estão em construção pelo PAR e apresentar à Caixa Econômica Federal. Após solicitação, a Secretaria Nacional de Habitação do Ministério das Cidades analisará as propostas.


 


O ministro das Cidades, Marcio Fortes, afirmou que "as famílias vítimas das chuvas no Rio de Janeiro e em Niterói serão beneficiadas pelas moradias do PAR". Em todo o País, 17 mil moradias do programa seguirão os novos critérios. O ministro explicou que "as unidades não serão contabilizadas no balanço do programa Minha Casa, Minha Vida".

Fonte: Maxpress Net - SP

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: