Mercado imobiliário cresce, mas custos pressionam o setor

Texto: Redação AECweb

Balanço do primeiro trimestre foi divulgado ontem pelo Secovi.

18 de maio de 2010 - O mercado imobiliário da capital paulista mantém a tendência de alta de lançamentos e de vendas este ano, de 5% e 10%, mas será pressionado por custos de insumos, mão de obra e terrenos. "O custo de terrenos, que historicamente correspondia a 15%, 20% do valor do imóvel, já chega a 40%, até 50% em regiões mais saturadas, como Pinheiros e Itaim, por exemplo", afirma João Crestana, presidente do Sindicato da Habitação (Secovi), que apresentou ontem o balanço do mercado imobiliário no primeiro trimestre.

De acordo com estudo da entidade, nos últimos cinco anos, o preço por metro quadrado de área útil na capital paulista apresentou elevação de 30,6%, ante 28,4% do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

"Os reajustes dos preços dos imóveis estão muito próximos aos índices de inflação, às vezes há notícias de aumento alarmantes, de até 25% no ano passado. Se fosse assim o mercado consumidor não estaria assimilando essas unidades, não haveria mercado para isso", avalia Celso Petrucci, economista-chefe da entidade.

No primeiro trimestre, foram comercializadas 8,461 mil unidades residenciais novas na cidade de São Paulo, 75,1% a mais que no mesmo período de 2009 e apenas 0,2% a menos que em 2008, quando foram vendidas 8,478 mil unidades. O número de lançamentos no período alcançou 6,193 mil, 96,4% a mais que nos três primeiros meses de 2009 e 11,8% a menos do que em 2008. "Por conta da crise do ano passado, a entidade acredita ser mais adequado comparar os resultados atuais com os do primeiro trimestre de 2008", ressaltou o economista.

CR2

Ainda no primeiro trimestre de 2010, a incorporadora CR2 Empreendimentos Imobiliários apresentou alta de 457%, de R$ 1,3 milhão, para R$ 7,1 milhões ante mesmo período de 2009. A receita líquida da companhia cresceu 97%, de R$ 51,6 milhões para R$ 101,5 milhões.

As vendas contratadas da companhia em parceria com outras incorporadoras subiram 220%, porém, a parcela da CR2 caiu de R$ 58 milhões para R$ 19 milhões na comparação entre os trimestres de 2009 e 2010.

Feirão

O 6º Feirão da Caixa também apresentou crescimento das vendas, com movimentação de R$ 1,8 bilhão, 24,1% a mais se comparado com o resultado alcançado em 2009, de R$ 1,5 bilhão. Foram ofertadas 151,8 mil unidades residenciais na região metropolitana de São Paulo, das quais 51,4 mil são novas ou estão em construção - 35,9 mil imóveis enquadrados no programa "Minha Casa, Minha Vida" - e 100,4 mil usadas. Participaram do evento 122 construtoras e 101 imobiliárias, e a visitação foi de 101 mil pessoas.

O mercado imobiliário segue aquecido e as vendas devem crescer 10% na capital paulista. Em relação às do ano passado, as vendas no primeiro trimestre do ano avançaram 75%, segundo o Secovi.

Fonte: DCI – SP - Cynara Escobar