Mercado imobiliário de SP e RJ continuarão vigorosos

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

Estados representam 50% no mercado nacional

03 de dezembro de 2013 - Embora diversas praças – como Brasília, Curitiba e Salvador– já estejam dando sinais de estresse, o segmento em São Paulo e Rio de Janeiro, que representam cerca de 50% do mercado imobiliário nacional, continuará vigoroso, apostou na coletiva de imprensa do SindusCon-SP, em 2 de dezembro, o vice-presidente de Economia do SindusCon-SP, Eduardo Zaidan. “As vendas vão continuar crescendo. Ainda há vários exemplos de empreendimentos que vendem 70% no final de semana de lançamento”, comentou.

Segundo ele, o mercado entrou numa nova etapa. “A demanda por imóveis reprimida nas últimas décadas foi atendida. Temos agora uma nova fase. Daqui em diante, a demanda da construção civil será ditada por itens como renda, massa salarial, disponibilidade de financiamento, aumento no número de famílias e mobilidade espacial”, disse.

Para Zaidan, o preço final dos imóveis novos continuará subindo no Rio e em São Paulo, desta vez de forma mais moderada. “Vão acompanhar a rentabilidade do salário real”, afirmou.

Em relação à expectativa de crescimento de 1,5% no nível de emprego formal do setor em 2014, o vice-presidente lembrou que a base de comparação já está muito alta. “Estamos com um nível de estoque bastante condizente com o que é preciso. O trabalhador que entrou neste mercado em 2006 ou 2007 permaneceu. O gargalo agora não é o número de trabalhadores, de contingente nas obras. O que se busca é aumentar a qualificação dos operários. O desafio é elevar a produtividade. É isto que as empresas procuram”, explicou.

Fonte: Sinduscon - SP