Mercado quer tetos regionais no Minha Casa

Texto: Redação AECweb

Especialistas apontam a necessidade de uma verdadeira política habitacional

07 de fevereiro de 2012 - O governo brasileiro quer agilizar a construção de casas neste ano dentro do programa Minha Casa, Minha Vida. Contudo, especialistas e empresários entrevistados pelo DCI afirmam que o déficit de moradias nunca será resolvido se não houver uma verdadeira política habitacional, de modo, principalmente, a avaliar as particularidades da cada região do País.

O vice-presidente de Habitação do Secovi-SP, Flávio Prando, afirmou que o sindicato busca "há algum tempo" regionalizar os valores de subsídios e limites dos programas habitacionais. "O custo de produção em São Paulo, por exemplo, é muito maior do que em outros estados e essa diferença se torna perceptível para o comprador com renda até 3 salários mínimos. Um subsídio de R$ 165 mil para essa faixa [do Minha Casa, Minha Vida] em São Paulo é muito baixo", explica.

Fonte: DCI