Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Nível de emprego na construção sobe 0,34% em outubro, diz SindusCon-SP

Texto: Redação AECweb/e-Construmarket

No acumulado do ano, o setor registrou 138.190 postos de trabalho, o que representa um crescimento de 6,08% no total de trabalhadores


No acumulado de 2019, todos os segmentos apresentaram crescimento, com destaque para Preparação de Terreno, Infraestrutura, Obras de Instalação, Engenharia e Arquitetura e Outros Serviços (Créditos: Joa Souza/ Shutterstock)

10/12/2019 | 12:02 – De acordo com pesquisa do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), feita com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, a indústria da construção registrou 8.076 postos de trabalho em outubro, alta de 0,34% face a setembro.

As classes de atividade que se destacaram no mês foram: Obras de Instalação (+1,21%), Obras de acabamento (+1,04%), Engenharia e Arquitetura (+0,50%) e Preparação de Terreno (+0,14%).

No acumulado do ano, o setor registrou 138.190 postos de trabalho, o que representa um crescimento de 6,08% no total de trabalhadores. Em outubro, o número de trabalhadores formais na construção foi de 2.410.667.

Ainda no acumulado de 2019, todos os segmentos apresentaram crescimento, em especial Preparação de Terreno (+8,74%), Infraestrutura (+8,47%), Obras de Instalação (+7,95%), Engenharia e Arquitetura (+7,67%) e Outros Serviços (+7,10%).

No mês, apenas a região Norte do País apresentou resultados negativos no mercado de trabalho do setor da construção (-0,23%).

No acumulado dos primeiros dez meses do ano, todas as regiões registraram variação positiva: Sudeste (+6,73%), Centro-Oeste (+7,29%), Sul (+5,86%), Nordeste (+5,27%) e Norte (+1,99%).

De acordo com o presidente do SindusCon-SP, Odair Senra, apesar dos resultados, a elevação do emprego na construção em 2019 segue em ritmo lento e de maneira desigual entre as regiões do País. “De qualquer maneira, este é o primeiro ano de aumento das contratações no setor, depois de cinco anos de queda, mostrando que a atividade está em recuperação”, finaliza.

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: