Banner AECweb
menu-iconPortal AECweb

Nova renda do Minha Casa, Minha Vida deve sair em março

Texto: Redação AECweb

Fonte de recursos para a construção de unidades e modificação do juros cobrados também estarão na pauta da reunião

15 de fevereiro de 2011 - O conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) irá se reunir no dia 15 de março para fixar o novo limite de renda do programa "Minha Casa, Minha Vida". O pedido do conselho é que o teto fique em R$ 5.250, abaixo do que foi solicitado pelo ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (dez salários mínimos), no fim do ano passado.

Segundo Henriqueta Arantes, integrante do conselho curador, a reunião também terá como temas a fonte de recursos para a construção de unidades destinadas a famílias com salário entre R$ 465 e R$ 1.395, além da modificação nos juros cobrados para a faixa de renda abaixo de R$ 2.790.

No modelo atual do programa, as taxas de juros durante o financiamento das moradias variam de 5% a 8,16% ao ano. Para quem ganha até R$ 2.325, os juros são de 5% ao ano. Entre R$ 2.325 e R$ 2.790, a cobrança aumenta para 6% ao ano. E de RS 2.790 a R$ 4.900 (renda máxima atual), são cobrados juros anuais de 8,16%.

A proposta do conselho é que famflias que ganham até R$ 3.150, independentemente do novo teto, paguem juros de até 7% ao ano.

Valor dos imóveis

A mudança no valor máximo das unidades enquadradas no "Minha casa, minha vida" foi publicada na última sexta-feira no Diário Oficial da União. A partir da data, 11 de fevereiro, a Caixa terá 60 dias para adequar seu sistema de financiamento ao novo valor.

Desta maneira, na região metropolitana do Rio, o valor máximo deve passar de R$ 130 mil para R$ 170 mil em meados de abril.

Fonte: Extra

x
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se para receber gratuitamente nossos boletins: