Novidades ecológicas para a construção civil chegam às construtoras

Texto: Redação AECweb

Madeira plástica entra em obras realizadas no Brasil para adequação das exigências sustentáveis

09 de agosto de 2010 - Cada vez mais o empresariado da construção tem adquirido consciência ecológica em suas obras. Desde que ficou determinado que as construtoras de imóveis que recebem financiamento da Caixa Econômica Federal teriam que se adequar às novas exigências sobre a compra de madeira legalizada, muitos passaram a adotar a madeira plástica ecológica e outras alternativas sustentáveis.

O desmatamento na Amazônia voltou a subir em junho, de acordo com levantamento da organização não governamental Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Os satélites registraram 172 quilômetros quadrados de desmate, aumento de 15% em relação a junho de 2009. O Pará liderou o desmatamento no mês, com 115 km2 de floresta derrubada (67% do total de junho), seguido pelo Amazonas, com 22 km2 de desmate, e por Mato Grosso, que perdeu 18 km2 de vegetação nativa. Diante disse, empresas que investem em obras apostam na construção sustentável.

Construção sustentável é aquela que dispõe de uma série de procedimentos obrigatórios para que, ao final, o produto seja uma unidade residencial ou comercial que o cliente compre com a tranquila consciência de que, o empreendimento foi feito co uso de uma mão de obra racionalizada incluindo medidas ambientais corretas como uso de soluções ecológicas e geração de menos resíduos sólidos, aproveitamento da luz do dia para a iluminação, das janelas para a ventilação natural, uso de madeira certificada e também a madeira plástica ecológica. A verdade, é que não basta, apenas ter o selo verde. A construção sustentável agrega ainda toda a cadeia produtiva, o "green job" (emprego verde).

Fornecer para esse público é o objetivo das empresas Wisewood (SP) e Ecowood (RJ). As empresas, do mesmo segmento, fabricam a maderia plástica ecológica. Assim como a Ecowood, a Wisewood utiliza milhares de toneladas de resíduos recicláveis que são coletados por meio de parcerias firmadas entre cooperativas de catadores de sucatas, prefeituras, distribuidoras de lubrificantes, fabricantes de óleos e fábricas de reciclagem.

A diferença básica entre as duas empresas está no tipo de produto que fabricam. A Wisewood produz dormentes (vida útil mínima de 50 anos para ferrovias), pallets (ideais para as aplicações que exigem resistência a intempéries, imunidade a cupins e insetos e facilidade de higienização) e estacas para tutoramento de plantios e jardinagem.

Já a Ecowood fabrica peças para decoração na cartela de produtos como pisos para exteriores e interiores, mobiliário externo, lambris e afins. Todos os produtos fabricados são vendidos diretamente pela empresa e possui apelo funcional, o que chama a atenção de designers e arquitetos.

A madeira não precisa de certificação, por uma simples razão: apesar de muito semelhante a madeira comum, ela é produzida por meio de material reciclado, advindo de fibras vegetais e plásticas. "Não há como negar a beleza da madeira nos projetos, e ter esta opção sem prejudicar o meio ambiente e poupando as árvores é o nosso objetivo", salienta Amélia Touriño, arquiteta da Ecowood.[www.ecowoodrio.com.br].

Fonte: Portal Fator Brasil - RJ